VINDA, DONS E FRUTO DO ESPÍRITO SANTO

Nº  114  BOLETIM DOMINICAL- 27 DE AGOSTO DE 2017

VINDA, DONS E FRUTO DO ESPÍRITO SANTO – I Cor. 12: 1-11

O Credo apostólico Declara: “Creio no Espírito Santo”. “Ora, os dons são diversos, mas o Espírito é o mesmo”. (v.4). O Espírito Santo é eterno e pré-existente. Ele estava na criação e pairava sobre as águas do abismo. Agiu ao longo da História Sagrada e falou aos profetas. O Espírito Santo é Deus, é soberano e age como quer e onde quer. Não se pode fixar padrões, parâmetros ou exigências. O Pentecoste, ou seja, a Vinda, por promessa, tem a sua origem e o seu significado em Atos 2: 1-8. Trata-se da Certidão de Nascimento da Igreja de Jesus Cristo. Falar da contemporaneidade dos DONS é importante para mais e melhor compreendermos a própria vida da Igreja. Primeiramente, Paulo jamais escreveu sobre “Frutos” e sim, FRUTO do Espírito. Ao analisarmos os Dons espirituais, devemos considerar a fonte motivadora do dom ou dos dons e não apenas o fenômeno em si. Há que se considerar também o propósito. O Dom visa a Unidade da Igreja, à edificação do Corpo de Cristo e à glória de Deus. Os dons são ferramentas para o serviço e não medalhas olímpicas para a ostentação pessoal. Quanto mais aparente é o dom, mais humilde precisa ser o crente. Evitar o perigoso “orgulho espiritual”, o risco de se considerar mais santo, mais capaz ou mais espiritual do que os demais irmãos. Sem o fruto do Espírito Santo na vida, os dons podem se tornar exibicionismo apenas. Observemos o contexto cultural em que este assunto está inserido: A Grécia e Corinto na época. Vale dizer, um contexto pagão e dominado pelas religiões de mistério, com todos os exageros e mistificações: “Quando éreis gentios, deixáveis conduzir-vos aos ídolos mudos, segundo éreis guiados” (V.2). Sobre a vital importância do tema destacamos: 1) A Atuação do Espírito Santo: Cremos que Ele está agindo na vida da Igreja a serviço do Pai e do Filho donde procede. Devemos nos colocar numa atitude de total submissão à sua Pessoa. Ele opera na regeneração, na conversão, na união com Cristo, na justificação e na santificação; 2) O Espírito Santo é Doador: Doador da vida, dos Dons espirituais, do Fruto espiritual; 3) A Função do Espírito Santo: Ele é Consolador, Ele é ensinador, Ele é orientador, Ele é provedor; 4) Na Relação com a Trindade: É procedente e igual em substância, poder e glória. Sem conversão, sem composição e sem confusão. Ele é a Pessoa de Deus conosco, vigário e intercessor.       Rev. Mario Ramos