TEMPLOS SEM DEUS

Nº  92  BOLETIM DOMINICAL- 26 DE MARÇO DE  2017

TEMPLOS SEM DEUS – I :  João 4: 1-26

Este encontro marcante entre o Senhor Jesus e a mulher samaritana, traz a tona uma revelação chocante para aquela mulher quanto ao significado dos Templos e da situação religiosa caótica do povo Judeu e dos samaritanos naqueles dias. Os templos, seja o de Jerusalém, junto ao Muro das Lamentações, ou do Monte Gerezim, em Samaria, na cidade de Sicar, não mais representavam a Casa de Deus, a morada do Altíssimo, o lugar de adoração de Javé. O Templo da Jerusalém antiga, já se transfomara, num Ceasa; uma verdadeira feira de animais para o sacrifício e Casa de Câmbio comprovam que parte do templo havia sido privatizado por Anás e Caifás. Por outro lado, verifica-se, que o templo que tinha sido destruído alguns anos antes de Cristo, no Monte Gerezim, em Samaria, simbolizava, apenas e tão somente, uma disputa, que estabelecia o conflito religioso sobre o verdadeiro lugar de adoração. Os templos, representavam também, uma crise política, sócioeconômico e religiosa daquela sociedade. Temos diante de nós, Templos sem Deus. A presença de Deus, não mais se encontrava em Sua Residência. Deus estava do lado de fora do Templo. Chama-nos atenção, o fato de ser Sicar, a antiga Siquem, onde Abraão ergueu um Altar ao Senhor e O adorou. (Gn. 12:5-7). Ainda, neste lugar, teria Abraão oferecfido a Deus o seu filho Isaque. E mais tarde, Jacó cavou ali um poço – a fonte de Jacó. Fato  este de conhecimento da mulher samaritana. Mas, no Monte Ebal, o outro templo, o de Jerusalém, quase a 32 km de distância de Samaria, fatos históricos narram as maravilhas de Deus, outrora, realizados. Flávio Josefo, dizia da crença de que ali Deus formou o homem do pó da terra. O imperador Adriano, ordenou a reconstrução do templo ali, onde se acredita ter sepultado Jesus – o Santo Sepulcro. Ali, Josué leu a lei, a bênção e a invocação do mal (Js.8:30-35). Anos mais tarde, Josué retornou e disse numa admoestação a todo o povo: “Quanto a mim e aos de minha casa, serviremos ao Senhor!”. Mas tarde Davi começou ali, a construção do 1º templo, sendo este concluído por Salomão. Este templo foi destruido pelas tropas de Babilônia em 585 a.C. Passados 70 anos, foi construído o 2º templo no mesmo lugar, o qual, mais tarde, foi reformado por Herodes. Este templo estava sob o controle dos fariseus.      Rev. Mario