SOLA SCRIPTURA

BOLETIM DOMINICAL- 27  DE OUTUBRO DE 2013

SOLA SCRIPTURA – 2ª Timóteo 3: 14-17

“Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda a boa obra”. (2 Tm. 3:14-17)

 

Eis os primados da Reforma Religiosa do Sec. XVI: Solo Cristo. Sola Fidei. Sola Gratia e Sola Scriptura. Ou seja: Somente Cristo; somente a fé; somente a graça e somente as Escrituras. É inconcebível ao cristão crer em qualquer outra coisa que vá além destes princípios da fé cristã presbiteriana reformada. Nós devemos assumir atitudes de protestantes e nunca de religiosos. O texto acima nos oferece o arcabouço doutrinário quanto à fé bíblica, genuína e evangélica, bem como ao bom testemunho cristão. Quanto as Escrituras, é preciso estudá-las por parte e com carinho. Elas dizem muito e são do conhecimento geral. Sola Scriptura, contrapõe-se à tradição. Por ser um contraponto é compreensível que vá ao outro extremo. Na verdade, o que pretende é a reafirmação da supremacia da bíblia em relação à tradição, sem excluir esta. Sempre que a tradição confirmar a Bíblia, bendita seja esta tradição. Quando conflita, nós, herdeiros da Reforma, ficamos com as Escrituras. A Bíblia é a nossa única regra infalível de fé e de prática. Esta declaração de fé é muito importante para todos nós. Ao lado da Soberania de Deus, da Supremacia da Palavra de Deus sobre a tradição, somadas ao fato de ser a Bíblia nossa única regra infalível de fé e de prática, colocamos o sistema presbiteriano de governo, doutrina, liturgia e disciplina. Naquilo que ele é bíblico, nós a ele nos submetemos, no que ele é histórico, prático e conveniente, adotamos, desde que não conflite com a máxima maior: Sola Scriptura. É preciso reafirmar que em primeiro lugar, somos cristãos bíblicos e evangélicos. Depois, por opção e por convicção, somos evangélicos reformados, calvinistas e presbiterianos. É preciso amar e respeitar a sua denominação, sem idolatrá-la. Idolatria é pecado. Ser cristão é uma bênção. Ser evangélicos reformados, calvinistas e presbiterianos, uma realização. Rev. Mario Ramos