SERVINDO A CRISTO COM AMOR E FIDELIDADE

 

BOLETIM DOMINICAL – 04 DE MARÇO DE 2012

SERVINDO A CRISTO COM AMOR E FIDELIDADE – 2 Tes. 1: 1-12

Esta 2ª Carta de Paulo, aos Tessalonicenses, aconteceu logo imediatamente à Primeira Carta, para corrigir alguns equívocos naquela igreja. Aconteceram na Comunidade distorções propositais quanto ao ensino do vindouto Dia do Senhor (1 Tes.5:1-11). Alguns pensavam que os juízos do Dia do Senhor, já haviam começado e que eles estavam isentos de tais juízos. Assim considerando que o mundo estava próximo de se acabar, afrouxaram as mãos e não mais queriam trabalhar e assim criando uma situação embaraçosa (3:6,11). O Apóstolo corrige os ociosos tomados pelos ensinos errado e os repreende publicamente através desta 2ª Epístola. Conntudo, Paulo, inicia esta Carta com ações de graças e estimula os cristãos em face às perseguições (1:3-12) “…Cumpre-nos dar sempre graças a Deus no tocante a vós outros, como é justo, pois a vossa fé cresce sobremaneira, e o vosso mútuo amor, de uns para com os outros, vai aumentando”. Paulo faz menção a perseguição sofrida por causa da fé em Jesus. A mesma perseguição que ele, Paulo, Silas e Timóteo haviam padecido nesta colônia romana de nome Tessalônica (vs.4). Porém, o Apostólo, reconhece a fibra dos cristãos na sua maioria, em permanecer firmes e fiéis no trabalho do Senhor, numa prova evidente de amor e fidelidade (vs.11-12). Nesta declaração Paulina, evidenciam-se as seguintes características desta pequena e sofrida igreja: 1) A ORAÇÃO DA LIDERANÇA PELA IGREJA (vs.11a) Uma das maiores responsabilidades que pesa sobre os oficiais da igreja é o compromisso diante de Deus em orar sem sessar pelo membros da igreja, e principalmente, por aqueles que recebem cargos e ministérios. Mas não basta orar apenas e tão somente, é preciso ser exemplo de vida cristã, compromisso, amor e fiedelidade ao Senhor, no contexto da igreja e fora dela. Cabe ao Pastor, ao Conselho e a Junta Diaconal conhecerem a real necessidade da Igreja e a sua vocação ministerial e assim orientar, estimular, participar e orar! 2) TRABALHAR COM AMOR – “…cumpra com poder todo propósito com bondade…” (vs11b) A palavra mais apropriada para “bondade” é amor – o primeiro amor, com que os efesianos tinham começado bem a sua carreira cristã. Paulo nos ensina que a obra santa do Senhor, é feita necessáriamente em amor. Foi assim que Deus provou o seu amor – Deus prova o seu amor para conosco; “…Deus amou o mundo de tal maneira…” Neste texto, Paulo lembra que o amor mútuo entre os irmãos, tem sido a causa do progresso, da constância da fé, da firmeza doutrinária, e da perseverança diante das perseguições e tribulações sofridas. É preciso trabalhar sim e de lutar por Cristo e sua Igreja mas, certamente, em amor. São múltiplos os ministérios da igreja. Assim como são variados os Dons dos crentes e 3) A OPEROSIDADE NA OBRA DE FÉ – (vs 11.c) “…e obra de fé.” Disse Jesus: “ Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna…” (Jo.6:27). Aqui está a receita para o sucesso na fé – trabalhar na obra de Deus e pela fé. Renunciar um pouco o nosso egoismo material e terreno e sermos solidários na obra de fé, compatilhando o muito que o Senhor nos dá!!! Servindo a Cristo e a Sua Igreja em amor e fidelidade!!! Rev. Mário Ramos