REGIMENTO INTERNO DA JUNTA DIACONAL

 

REGIMENTO INTERNO DA JUNTA DIACONAL

DEFINIÇÃO:

O Conselho da Igreja, após a devida apreciação deste Regimento Interno, aprova-o, e BAIXA-o à JUNTA DIACONAL DA IGREJA PRESBITERIANA DO AFONSO PENA, para através deste, reger-se, no implemento da causa da Comunidade e do Reino de Cristo.

Art. 1º – A Junta Diaconal constituída de todos os diáconos da Igreja ( Constituição Art. 83, alínea “g”) coordena as funções estabelecidas na Constituição Art. 53, e rege-se pelo presente Regimento Interno (Const. Art. 58).

FINALIDADE:

Art. 2º – Compete à Junta Diaconal coletivamente e aos diáconos individualmente:

a) Tomar conhecimento da existência de necessitados principalmente entre os membros da igreja, visitá-los, instruí-los nas suas necessidades dentro das possibilidades da igreja, examinando cautelosamente a fim de verificar a real existência das necessidades alegadas.

b) Dispor para esses fins dos recursos votados pelo Conselho e das ofertas especiais. Determinar no inicio de cada ano a quantia máxima que a Junta poderá aplicar por mês, no socorro urgente do necessitado.

c) Examinar os casos de pretensões a lugares gratuitos em hospitais e orfanatos recomendando ou não a assistência pretendida.

d) Tomar conhecimento da existência de enfermos, entre membros e aderentes da igreja, visitá-los e confortá-los em caso de necessidade.

e) Comunicar aos presbíteros e ao Pastor a existência e das condições dos enfermos.

f) Manter em dia com meticuloso cuidado a lista e os endereços das pessoas que estão sendo atendidas e recebendo auxílio da Junta Diaconal.

g) Recolher as ofertas dos membros e amigos da Igreja, contá-las e encaminhá-las imediatamente ao tesoureiro da Igreja.

h) Dar todo o apoio coletivo e assegurar o apoio individual dos diáconos aos planos econômicos ou financeiros adotados pelo Conselho da igreja de modo que sejam propagados com entusiasmo realizados com toda a eficiência.

i) Verificar se estão em ordem as cousas referentes ao culto bem como os objetos da Santa Ceia e do Batismo e recolhimento das ofertas

j) Observar a ordem conveniente nos pátios e arredores do templo desde a rua até as dependências internas.

k) Evitar de modo absoluto que haja reuniões em outras salas ou palestras entre membros da igreja ou simples assistentes, dentro do templo ou nos pátios, durante as horas de culto.

l) Abrir o templo e demais dependências, e acender as luzes, minutos antes de todas as programações, bem de fechar e apagar as lâmpadas no encerramento dos trabalhos.

m) Providenciar para que o gazofilácio, esteja à disposição dos crentes, na entrada do templo.

n) Agir com prudência, rapidez e segurança à medida que uma inconveniência surgir atrapalhando ao bom andamento do Culto do Senhor ou das Reuniões.

o) Agir se necessário, no cuidado dos veículos que ficam fora do templo.

p) Providenciar para que em caso de apagão abrupto da energia elétrica, haja iluminação alternativa.

 

MÉTODOS:

 

Art. 3º – A Junta Diaconal executará as suas funções de acordo com os seguintes princípios:

a) Reunir-se-á uma vez por mês ou, no mínimo, de três em três meses, para ouvir a leitura da ata de reunião anterior e relatório dos diáconos e estudar a situação da obra diaconal, consertar planos, etc.

b) A diretoria da Junta Diaconal compor-se-á de Presidente, Vice-Presidente e Secretário, eleitos anualmente.

c) A Junta organizará escalas de diáconos para o recolhimento das ofertas e para os demais serviços da sua competência, inclusive, diácono de plantão dominicalmente ou em programação especial da igreja.

d) Estudar e sugerir ao Conselho planos de movimentos especiais, para o reforço da receita anual.

e) Para os trabalhos fora do templo como visitas, investigações dos necessitados, etc. devem os diáconos, de preferência, ser enviados de dois a dois.

f) Sempre que o ambiente o permitir, os diáconos, nas suas visitas, deverão orar e ler trechos da Palavra de Deus, como também instruir os crentes sobre o privilégio da contribuição (Ofertar e Dizimar).

g) Enviar trimestralmente ao Conselho relatório de suas visitas e outras atividades.

h) Enviar anualmente o livro de Atas e o relatório geral para apreciação e aprovação do Conselho.

 

COMPLEMENTAÇÃO:

Ordenação e Investidura:

. Ordenar é consagrar, é legitimar a vocação dada por Deus, é ungir, é dar autoridade divina para o desempenho ministerial do chamado.

. Investir no cargo é entronizar alguém, pôr dentro, legitimar, credenciar para representar e atuar com a convalidação de seus eleitores.

 

DOS DIREITOS E GARANTIAS DO CULTO PÚBLICO

 

VI – é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias; ( Const. Da Rep. Federativa do Brasil – Art. 5º, inciso VI)

 

São José dos Pinhais, PR – 20 de Fevereiro de 2011.

 

Do Conselho da Igreja.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com