REAVIVAMENTO E EXPANSÃO MISSIONÁRIA

Nº  111  BOLETIM DOMINICAL- 06 DE AGOSTO DE 2017

REAVIVAMENTO E EXPANSÃO MISSIONÁRIA – Atos 8: 26-40

Nossa Amada Igreja Presbiteriana do Brasil, comemora neste dia 12 de Agosto, 158 anos, de anúncio da fé evangélica em nosso torrão brasileiro. Além disso, em 31 de Outubro, 500 anos, de Reforma Protestante. Vale dizer, que representamos no mundo como igreja reformada, protestante, calvinista e Evangélica. Certamente, fruto da graça salvadora de Deus em Jesus Cristo, o Único Mediador de uma Nova Aliança entre Deus e os homens (I Tm. 2:5). Dois fatores explicam o reavivamento e a expansão missionária da Igreja do Senhor Jesus, na história. A começar com ação de Deus na Palestina, após 30 anos, dentro de Jerusalém. O cristianismo corria um sério risco de se tornar uma seita nos moldes do próprio judaísmo ortodoxo (Jo. 9:13-41). Na história, podemos destacar pelo menos quatro grandes momentos de forte expansão missionária: 1- A Reforma do Século XVI, os ideais da Reforma abrangiam aspectos, religiosos, espirituais e doutrinários, mas não era tudo. Havia ainda os componentes sociais, econômicos e políticos. Bem ao estilo das Reformas pugnadas pelos profetas no Antigo testamento: Reforma religiosa, espiritual e moral do povo de Deus, como sinal de obediência a Deus e prosperidade deste povo (Is.1:3-9;58:6-10). Quanto a Reforma e sua expansão missionária por conflito e ebulição, houve uma acomodação após o Édito de Nantes (1598). Porém, os efeitos perversos da Contra Reforma continuaram na forma de perseguição sangrenta pela Santa Inquisição. E a guerra dos trinta anos (1618-1648); 2- O 1º Grande Reavivamento do Séc. XVIII e a Expansão Missionária– Em especial, com os Pais Puritanos no Reino Unido, chegando a dominar o Parlamento e fizeram a Assembléia de Westminster, influenciaram com as traduções da Bíblia e com a implantação plena da Reforma; 3-  2º Grande Reavivamento do Séc. XIX e a Expansão Missionária – Com o protestantismo na Europa houve o surgimento de novas organizações, na Alemanha e na Prússia, as Igrejas Reformadas calvinistas e luteranas se unem como igrejas Evangélicas, surgem várias igrejas independentes pelo Europa afora. Na América do Norte com Jonathan Edwards os reavivamentos dos Estados da Nova Inglaterra, Nova Iorque, Ohio, tennessee espalham-se pelo país e vêm a se tornar o Grande Reavivamento. Deste, decorre a vinda de Simonton ao Brasil.       Rev. Mario Ramos