PROVIDÊNCIA DIVINA  NÃO EXCUSA A INIQUIDADE

Nº 242 –  BOLETIM DOMINICAL – 17 DE MAIO DE 2020

PROVIDÊNCIA DIVINA  NÃO EXCUSA A INIQUIDADE – Sl.94:1-23

O Séc XXI, começou agora, com o advento do Coronavírus. O mundo jamais será o mesmo após essa pandemia. A voz que ecoa pelo mundo afora é a voz da ciência. Se as profecias avançam, a ciência não descansa. Não há nada mais incrédulo do que o homem negar a sua própria condição pecadora. Tal homem, não pode arrogar-se em falar de Jesus como o seu Redentor. A Covid-19, mata!  As igrejas estão fechadas! Os cemitérios estão cheios! O mundo em suspense. Deus está manifestando-Se em juízo e justiça sobre a terra! Assim foi com o dilúvio em Noé; as pragas no Egito; a travessia do mar vermelho; justiça e juízo na Cruz do Calvário; a Peste Negra, a Gripe Espanhola, etc… Enquanto isso, o silêncio ensurdecedor da igreja, em conversa com o espelho, solilóquio (Sl. 116:7). Não há profetas na rua! A figura do Papa, solidário-solitário, na praça São Pedro, na bênção “Urbi et Orbi” diz tudo. Há anos, que os púlpitos revelam uma fé reativa circunscrita ao redil, sem contudo, importar-se com os  escândalos repetidos na sociedade, que vão da corrupção secular (governo) ao eclesial (religão). “A pandemia expôs o apartheid não oficial do Brasil em toda a sua brutalidade”: A banalização da injustiça social, atrai juízo! Os púlpitos são apaixonados por esse tema, todavia, fogem desse casamento. O desprezo pela Boas Novas, o Evangelho Integral de Jesus tem consonância com a decadência espiritual-social do povo e a falta de credibilidade da igreja. É um grave pecado! A iniquidade mais perversa, hediondo, reprovável e condenável aos olhos da providência divina que não excusa a iniquidade. Deus, Se faz existir e Se importar com voce para além das fórmulações dos Credos. Em Jesus Cristo, Seu Único Filho, Deus ama voce e deseja a sua felicidade. Deus Se importa com voce, ante, o inconsciente coletivo (Jung), o inconsciente pessoal (Freud) e o Inconsciente social (E, Fromm), por Sua Palavra revelada nas Escrituras e nos Profetas (Mq. 6:6-8). Os profetas, chama-nos a consciência, sobre a serenidade que a certeza da divina providência faculta ante as adversidades. O Texto em epígrafe, ensina-nos e conscientiza-nos de que é precico aprender a meditar a providência de Deus, na atual conjuntura brasileira do radicalismo político e da importância teológica. Não se trata da “religião organizada” ou da “ideologia tal”, e sim, da Comunidade da Palavra Libertadora, sem a qual, não há fala possivel de transformação espiritual e social. Seja na Alemanha (Lutero) ou Genebra (Calvino), a situação sócio-político-econômico-religiosa, sempre fora aceita como ordenada por Deus. É mister que o nosso Brasil se volte a Palavra e a obediência a Deus. Obedece a Deus aquele que, plenamente instruído acerca de Sua vontade, porfia por fazer aquilo a que é por Ele chamado. Mas, de onde somos nós plenamente instruídos, senão de Sua Palavra? Que outra coisa hajamos de para nós anelar, se nem um só fio de cabelo nos pode cair da cabeça, a não ser por Sua vontade? Se intentamos algo contra o Seu preceito e obediência não é; pelo contrário, contumácia e transgressão.    Rev. Mario Ramos