PROCLAMAÇÃO E TESTEMUNHO DO EVANGELHO

BOLETIM DOMINICAL- 15 DE SETEMBRO DE 2013

PROCLAMAÇÃO E TESTEMUNHO DO EVANGELHO – At. 1: 6-11

A proclamação do Evangelho é tarefa de todos nós. Melhor dizer que é privilégio e dever de todos os batizados, membros do corpo de Cristo.

A ordem do Senhor dada mim, é a mesma a você. Tanto ao clero quanto aos leigos. “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado” (Mc. 16:15,16).  Até onde estamos obedecendo ao “IDE” de Jesus? Se você não prega e nem testemunha objetivamente, é preciso rever sua posição diante de Deus. O privilégio da Casa do Senhor impõe-nos uma obrigação: Pregar e testemunhar o Evangelho. A mensagem é eternamente a mesma, o Evangelho – Cristo, a vida. É pregada a todos, mas nem todos crêem. Os eleitos respondem à pregação do Evangelho, porque são predestinados à promessa, à bênção e a vida eterna. Só Deus sabe quais são esses eleitos. Assim como eu e você, alguém pregou ou testemunhou – e nós respondemos ao apelo do Evangelho. Isto porque a fé vem pelo ouvir, ouvir a pregação da Palavra de Cristo. A fé que salva é a fé em Cristo. E não, em nenhum outro. É preciso crer que Jesus morreu pelos nossos pecados. Que Deus o ressuscitou dentre os mortos. Esta é a fé! Este é o conteúdo da pregação. A salvação é pela graça de Deus, mediante a fé. Isto não vem de nós, é dom de Deus. Não vem de obras, para que ninguém se glorie” (Ef. 2:1,8,9). Precisamos deixar claro que a pregação é completa, criativa e que é tarefa de todos nós. É de longo alcance, não apenas geográfico mas, também, intenso, profundo e corajoso. As últimas palavras de Jesus sobre a face da terra: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como na Judéia e Samaria, e até aos confins da terra” (At.1:8). Veja que a cena é linda e nos compromete a todos: 1) Jerusalém – Pode e dever ser vista como sendo a nossa casa, familiares e vizinhos; 2) Judéia e Samaria – Representa e tipifica os mais distantes e de diferentes culturas, costumes e religião; e 3) Até aos Confins da Terra – Não se trata de lugar remoto e esquecido. È uma referências às nações “Pede-me, e eu te darei as nações por herança, e as extremidades da terra por sua possessão” (Sl.2:8). Desta forma, a pregação do Evangelho requer uma progressão. Um desafio, uma visão, uma conscientização. Fé e coragem. Rev. Mario