“PORQUE UM MENINO NOS NASCEU”

Nº 82 – BOLETIM DOMINICAL- 04 DE DEZEMBRO DE  2016

“PORQUE UM MENINO NOS NASCEU” – Isaías 9: 1-7

Entramos no mês  Natalino do Senhor Jesus. Vamos passar todo o mês em celebração ao Nosso Redentor e Salvador Jesus. Toda a liturgia e programação serão atinentes ao Natal de Jesus: Hinos, leituras, Orações, e Sermão. É tempo de celebrar o Nosso Senhor: A Sua vida, Obra e Missão. Eu gosto de Natal. Pudesse, eu preservaria, no ar, o “espírito do natal” o ano todo e por toda a vida. É fácil dizer: Sempre é Natal quando se tem Cristo no coração. Acredito haver algo a mais, nesta época: A Reflexão sobre o “Menino” de Belém e o seu significado para toda a humanidade (Mt. 2: 1-11). Queremos recordar o Primeiro Natal, e analisar como foi e como estar hoje na nossa vida e no mundo: 1) O Primeiro Natal Mexeu Com as Estruturas Cósmicas e Espirituais da Época – Apareceram anjos, falaram e cantaram. Em Nazaré, à jovem-Virgem Maria, o anjo fez um anuncio desconcertante: “Eis que conceberá e darás à luz a um filho  e lhe chamarás, Jesus”. Ele é o Salvador; é Emanuel – Deus conosco; é Cristo – o Messias – o Ungido de Deus e Redentor; aos pastores no campo foi dito: “Não temais, eis aqui vos trago Boas Novas, o Evangelho”; 2) O Nascimento de Cristo Abalou as Estruturas Políticas do seu Tempo – Herodes ficou tão perturbado que disse e fez absurdos: afirmou que queria “adorar” o Menino Jesus. Ainda que mentindo coisa própria da classe, embora reconhece nele o Rei e Deus, dígno de ser adorado; 3) O Nascimento de Cristo Abalou as Estruturas Religiosas do seu Tempo –  Herodes convocou os Escribas e os Sacerdotes do seu tempo para inquirir deles com precisão, “onde o Cristo haveria de nascer?” Pergaminhos foram consultados, pesquisas foram feitas e a resposta veio: “ Em Belém, da Judeia, segundo as profecias”. A Vinda e a Vida de Jesus, é a reinterpretação do Antigo Pácto, o surgimento e a adoção de uma Nova Aliança ou Novo Testamento. Não mais o Pácto das Obras, regulado pela Lei; mas agora o Pácto da Graça, regulado pelo Evangelho, daí ser as Boas Novas – Esta é a mudança no mundo espiritual, religioso e teológico – Mas mundanças radicais no mundo político, na ética e na moral. Feliz Natal! Rev. Mario

 

 

 

Rev. Mario