POR QUE SER CRENTE PRATICANTE?

Nº 76 – BOLETIM DOMINICAL- 23 DE OUTUBRO DE 2016

POR QUE SER CRENTE PRATICANTE?  Tiago 1: 19-27

A Palavra de Deus em nós implantada é para ser vivida e praticada. Ser crente de boca para fora não resolve o problema. Ao contrário, deixa-nos numa frustração profunda. Declarar a fé uma coisa; viver e praticar a fé é outra bem diferente. É caso de perguntar: como viveram e fizeram nossos grandes vultos precursores da Reforma como  John Wycliff, John Huss e Gerônimo Sovonarola? Somos protestantes, reformados, calvinistas, presbiterianos, evangélicos é este pragmatismo cristão que interessa. Viver o martírio ou as bênçãos da Salvação é a mesma coisa. È maravilhoso e abençoado o crente que dá um bom testemunho em sua vida pessoal na família, na igreja e na sociedade. É bem visto o crente que tem compromisso com Cristo e Sua Igreja e que estar presente pontual e assíduo. Por isso Tiago nos transmite alguns conselhos: 1) Ouvir mais e Falar menos (19,20) – Temos dois ouvidos e somente uma boca, por que será? Ser tardio para falar, tardio para se irar e pronto para ouvir. Quem muito fala, muito erra. Salomão em  Provérbios diz que o tolo calado passa por sábio; 2) Ouvir e Praticar (21, 24) – Falar pouco e Ouvir mais. Ter corações limpos e mentes puras. Retirar as maldades do coração e dos corpos. É acolher com mansidão a Palavra implantada. Ser praticante da Palavra e não ouvinte esquecido. Não basta saber o que é bom, é preciso praticar o bem. É preciso ter boas intenções e boas ações.  3) A Verdadeira Lei ( 25) – Tiago mostra que a fé cristã tem uma exigência ética e moral. A lei do Senhor é perfeita. É perfeita por três razões simples: é Lei de Deus, dada por Ele; é perfeita porque não pode e nem precisa ser melhorada; é a Lei da liberdade cujo fim é a perfeição. Torna feliz aquele que a pratica. “ Antes o seu prazer estar na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite”; 4) A Verdadeira Religião (26,27) – A palavra “religião” aqui é THRESKEIA, em grego, e significa expressão religiosa externa mediante, ritual, cerimônias e liturgia. É culto, como adoração e serviço a Deus. O culto agradável a Deus expressa tambem no serviço aos pobres, as viúvas, os órfãos numa vida de fé, misericórdia e revestida de amor divinal. A liturgia bonita alegra o coração de Deus. É esta  que o cristão vive e pratica, a Palavra do Senhor em honra a Jesus Cristo. Rev. Mario Ramos