POR QUE BATIZAR CRIANÇA ?

BOLETIM DOMINICAL- 24 DE MARÇO DE 2013

POR QUE BATIZAR CRIANÇA ? Atos 16: 19 – 34

Por que batizar criança? É bíblico o Batismo Infantil? Quando será este tema motivo de polêmica? Quando não se compreende a unidade entre o A. e N. Testamentos. Quando se desconhece que a circuncisão deu-se vez ao batismo. Quando se despreza a criança à medida em que ela é aceita por Cristo. Quando se ignora às evidências deste fato no N. Testamento. Quando se coloca às margens da sociologia, da teologia e da eclesiologia da Igreja dos Apóstolos. Enfim, torna-se necessário aos contrários, a humildade ao bom conhecimento bíblico, teológico e da história da Igreja dos “Pais da Igreja”. Portanto, devemos praticar o batismo infantil pelo seu significado. Entre os dois Sacramentos do Novo Testamento, instituído pelo Senhor Jesus, o 1º é o batismo, porque a sua função é de admitir na Igreja, solenemente, a pessoa que professa a fé em Jesus Cristo. Pelo batismo a pessoa passa a fazer parte do Corpo de Cristo. O batismo proclama e sela o pacto da graça em Cristo. O batismo proclama e sela o outro lado deste pacto: a consagração, que atende às exigências divinas, do Antigo Pacto, representado pela circuncisão, sendo o batismo infantil, um “bem jurídico adquirido”, pelo fio da promissão espiritual, assegurado a Abrão, Isac e Jacó (Gn 12: 1-8). O batismo é um ato de Deus. É Deus quem sela, batiza e separa, sem importar a idade. E mais, no caso das crianças, há a “profissão de fé substitutiva” dos pais e o compromisso solene de criar os filhos na mesma fé que professam. A água é o elemento exterior dessa graça invisível, usado no batismo. A água não tem poder “regenerador”, antes, é somente, um símbolo do sangue de Jesus que nos lava, limpa e “purifica de toda injustiça” (I Jo. 1: 6-10). A palavra “batismo” quer dizer: mergulhar, lavar, tingir, fazer abluções (Mc. 7:4 e Lc. 11:38). Não existe uma só palavra com o sentido de “imersão” na Bíblia, quanto a doutrina batismal. Mas por duas vezes ocorre a imersão num contexto de juízo e não de bênção: a) No dilúvio de Noé e b) Faraó e seus cavaleiros. Ao passo que a palavra “Aspersão”, é clara e cristalina nas Escrituras Sagradas. Diz Orígenes (185-255 d.C), que “os Apóstolos batizavam os recém-nascidos”. Cipriano (258 – a.C), ensinava que, “no batismo, da graça não devemos afastar as crianças” – Carta a Fido. O Manual dos Apóstolos, conhecido como a “Didaqué” prescreve o batismo infantil. As crianças eram circuncidadas. Agora, o batismo elevado a nível Sacramental, incluem adultos e crianças, sendo nelas, substituído o rito da circuncisão. As crianças batizadas na Bíbia: Cornélio e família (At. 10:44-48); carcereiro de Filipos e família (At.16:23-40); Lídia e família (At. 16:14); a casa de Estéfanas (I Co.1:16-17).            Rev. Mario Ramos