OS PRIMEIROS DISCÍPULOS DE JESUS

BOLETIM DOMINICAL- 23 DE FEVEREIRO DE 2014

OS PRIMEIROS DISCÍPULOS DE JESUS – João 1: 32-51

O Evangelho de João o qual estamos estudando, não enfatiza o ato do batismo de Jesus com água, no Jordão, pelo rito da efusão, praticado por João Batista. A ênfase recai sobre o fenômeno de rara importância para João e para todos igualmente: A descida do Espírito Santo, em forma corpórea de pomba, sobre Jesus no momento do batismo. Este acontecimento foi de vital importância para João, por se tratar de um sinal visivel vindo de Deus ao batizador, para identificar o Cristo, o Messias, o Redentor anunciado pelos profetas. Diante deste fato, não havia mais o que duvidar: Disse João: “Eu de fato vi, e tenho testificado, que Ele (Jesus) é o Filho de Deus” ( Jo.1:34). Neste início de ministério formal que começa no batismo, a próxima estação, foi o sofrimento no deserto de provação (Mat. 4). Estando pronto e preparado, o Senhor Jesus passa-se a recrutar os seu primeiros discípulos: André, Pedro, Filipe e Natanael (Jo. 1:40-45). André fora discípulo de João, mas, resolveu a seguir Jesus. Simão, teve o seu nome mudado por Jesus, agora é Pedro. Mas, Jesus mudou também o seu caráter e tudo mais. Todos os discípulos de Jesus experimentaram mudanças para melhor e para o bem. Nós nos aproximamos de Cristo de modos diferentes. Não há um padrão. Deus chama cada segundo Sua sabedoria e vontade. Jesus pode chamar diretamente (Saulo de Tarso – Atos 9) ou usar um de seus servos para fazê-lo. Filipe chamou a Natanael (Jo. 1:45). André seguiu a Jesus pelo testemunho de João Batista (Jo.1:37 e 40). Todos os seus discípulos tiveram suas vidas transformadas. Se alguém de fato crê em Cristo o resultado será uma transformação completa do seu carater; em lugar de fraqueza, força; em vez de instabilidade, firmeza; no lugar do medo, a coragem; do fracasso à vitória; da maldição à bênção; da morte à vida eterna; do inferno ao céu. Em tempo algum, foi fácil testemunhar de Jesus. Ser testemunha de Jesus significa ser martir. Assim, como não é fácil testemunhar de Jesus aos da nossa própria casa, mas é imprescíndivel. Nenhum verdadeiro discípulo de Jesus pode viver sem testemunhar acerca do que seu Mestre fez por ele. Não recebemos a bênção de Deus para guardá-la conosco. Pense nisto! Rev. Mario Ramos