OS OFICIAS DA IGREJA

Nº 288 – BOLETIM DOMINICAL- 24 DE AGOSTO DE 2014

OS OFICIAS DA IGREJA – Tito 1:5-9 e Atos 6: 1-7

Os oficiais da Igreja, conforme o padrão Bíblico e o praticado desde os tempos dos apóstolos, quais sejam: os pastores (Presbíteros Docentes), os Presbíteros Regentes e os Diáconos, sendo estes eleitos, ordenados e instalados no ofício para um mandato de cinco anos, devem de acordo com a Palavra ser exemplo na sociedade, na família e na Igreja. Por outro lado, deve a Igreja tributar aos seus oficiais, honra, admiração e respeito pelo ministério que eles exercem. A Igreja precisa orar por eles. A Igreja precisa sempre ter uma palavra de estímulo. Percebe-se que a recomendação de Paulo é que constituísse presbíteros em cada cidade. É absolutamente neo-testamentária quanto a seus oficiais: Pastores, Presbíteros e Diáconos. Tem o seu corpo doutrinário derivado da Bíblia  somente. Nossas doutrinas são bíblicas e presbiterianas. Aliás, o governo da Igreja Presbiteriana baseia-se nos presbíteros, formando um colegiado ou o Conselho. Por isso o nosso sistema é Presbiterial, governado por representantes do povo eleitos em Assembléia. Portanto, não somos congregacionalista (Decisão em Assembléia); e nem episcopalismo ou monarquismo (Governado por um Bispo). Paulo fala sobre vários aspectos da vida dos oficiais: 1 – A vida familiar deve ser exemplar: Tudo fazer para que os seus filhos estejam na Igreja. Não se exige aqui perfeição. Os oficiais da Igreja são tão humanos e falhos como os membros da Igreja. Diz que o oficial deve ser marido de uma só mulher; 2 – A qualidade dos oficiais da Igreja: Alguns diriam “qualidades” e “defeitos”. Sem dúvida. Há falhas a serem superadas, especialmente com as orações dos crentes. Os oficiais devem ser irrepreensíveis como bons despenseiros de Deus; 3 – Que os oficiais não devem ser: Arrogantes ou soberbos; não deve ser irascível; não seja dado ao vinho; não violento; não ganancioso; 4 – Que os oficiais devem ser: Hospitaleiros; amigos do bem; sóbrios; justos; piedosos; que tenham domínio próprio; e que sejam apegados à Palavra; conhecedores da doutrina para exortar, corrigir, e convencer os que contradizem. Hoje, à noite, estaremos ordenando e instalando nossos novos oficiais eleitos. Que eles sejam bênçãos na vida da Igreja. Dê o seu abraço e o estímulo. Oremos por eles.  Rev. Mario