ORGANIZAÇÃO ECLESIÁSTICA

Nº 41 – BOLETIM DOMINICAL- 14 DE FEVEREIRO DE 2016

 ORGANIZAÇÃO ECLESIÁSTICA – Col. 1: 13-23

A Igreja é uma organização divino-humana. Ela tem vida no Pai Eterno e sustento nos filhos, eu e voce. A igreja, não é empresa. Não é um clube. Não é uma agência de negócios. Não é um consultório de psicologia ou de psiquiatria. A Igreja é muito mais que uma organização, ela é um ORGANISMO VIVO. Cristo é a Cabeça, nós o corpo, a igreja. Esta comunhão dos remidos do Senhor é algo maravilhoso. A Igreja é uma comunhão de fé, de amor e de esperança. Voce não está na Igreja; voce é a igreja a partir do momento que voce está em Cristo e no Evangelho. O batismo é o sacramento de ingresso na Igreja, é o rito de iniciação e de entrada no Corpo de Cristo. Desta forma, a Igreja é um Organismo, organizado. A Igreja tem o seu Templo, casa de Deus. A Bíblia, a Palavra de Deus é a nossa Única Regra infalível de fé e de prática. A Igreja tem doutrinas. A Igreja tem uma Constituição e seus Estatutos. Eis porque não podemos desprezar a organização eclesiástica. Podemos e devemos aperfeiçoar  as estruturas a fim de que elas sirvam para sustentar e estimular a vitalidade do organismo. A Igreja é uma realidade divino-humana. Pelo lado humano a igreja é imperfeita e com falhas; porém, ela é divina, sublime e espiritual. A Igreja é Santa na medida em que reflete o plano e a vontade de Deus no mundo; revela suas imperfeições na medida em que se deixa influenciar pela maldade humana. A organização eclesiástica não pode ser um fim em si mesma; Uma Indústria mercantil ou uma casa espetacular! A Igreja é um Organismo vivo que se organiza bem para SERVIR melhor. O Governo temporal da Igreja se dá em colegiado, por seus oficiais e nunca individualmente. O Pastor tem a incumbência de ensino doutrinário, da administração dos sacramentos, da assistência espiritual aos crentes, na visitação, bem como na administração e presidência da Igreja e do Conselho. Os Presbíteros Regentes, na incumbência da cooperação com o Pastor. Os Diáconos, da incumbência do recebimento das ofertas e da assistência aos necessitados. Hoje, agradecemos a Deus por nossa Sede Própria e sua inauguração.  Somos todos Cooperadores de Deus! Rev. Mario Ramos