O QUE É A GLORIFICAÇÃO DOS SALVOS?

BOLETIM DOMINICAL- 05 DE MAIO DE 2013

O QUE É A GLORIFICAÇÃO DOS SALVOS?   Rm. 8:18-30

A glorificação dos salvos está na sua identificação com Cristo. É em Cristo que encontramos a salvação, a justificação, a santificação e a glorificação. Trata-se de um processo espiritual que atende o plano redentivo perfeito, completo e cabal de Deus, mediante o sangue da Nova Aliança em Jesus Cristo ( Ef. 1:3-8). A glorificação tem o seu efeito no tempo e no espaço e atende a três aspectos: a) Um antecedente – a conversão dos eleitos, b) Um consequente – a condenação dos ímpios, e c) Uma redenção ecológica – a da criação. Pois isto importa na transformação do corpo e alma dos crentes pelo processo de santificação nesta vida. “Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb.12:14) e mais, “Pois esta é a vontade de Deus, a vossa santificação.” (I Tes. 4:3). O outro aspecto da glorificação dos salvos, tem a ver com os incrédulos, que é a sua condenação, visto que a glorificação dos crentes acontecerá na Segunda Volta de Cristo. Com a volta de Cristo os Seus fiéis ressucitarão com seus corpos e almas transformados numa substância gloriosa tal como a de Cristo em sua ressurreição (I Co. 15:50-58). Portanto, isto se dará por ocasião do arrebatamento da Igreja (I Tes. 4:17). Nessa mesma oporturnidade, os ímpios serão sentenciados ao juízo eterno (Mat.25:31- 46). E quanto a criação: O texto de (Rm. 8:18-20), fala da glória a ser recebida na manifestação dos filhos de Deus. Este tipo de glorificação vai alcançar a própria criação, através do Filho de Deus e dos filhos de Deus adotados em Jesus. Somos salvos pela graça, mediante a fé; estamos num processo de santificação constante, no qual o próprio Espírito Santos nos ajuda e nos assiste em nossas fraquezas. Ele intercede por nós e em nós, segundo a vontade de Deus (Rm. 8:26-30). Esta doutrina da glorificação apesar de se tratar de uma esperança futura, todavia, se faz presente na vida do cristão no seu ante-gozo desta bem-aventurança e ao mesmo tempo em que diagnostifica e prescreve à condição do homem pecador mediante o Evangelho de Cristo (Rm. 10: 8-13). Portanto, a dialética do “agora sim, ainda não”, tem a ver com este processo que começa com a regeneração, justificação, santificação e glorificação. Começa na terra e se completa no céu. Rev. Mario Ramos