O ICÔNICO SANTUÁRIO NO CÉU!

Nº 195 –  BOLETIM DOMINICAL – 19 DE MAIO DE 2019

O ICÔNICO SANTUÁRIO NO CÉU! – Apoc. 7:1-17; At. 10:34-43

“Um pagão que retorna a Deus é maior do que o Sumo Sacerdote do Santuário” (Talmude Judaico). O paganismo moderno, em tese, está dentro das maiorias das Igrejas evangélicas. Essa globalização não é um fenômeno recente. O impácto vai do local ao geral. É uma antiga profecia de Isaías, reproduzida por Jesus: “Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim (Mt. 15:8). Cristo é o ícone “ eikón” na cena simiótica do trono. Ele é o Senhor do Santuário, do sábado, das nações, da vida eterna, do juízo e do trono. Vimos no Cap. 6, o início do juízo na arbertura dos seis selos: A cavalaria Infernal, 6:1-8; e, Antes da última batalha, 6:9-17. Nesta ocasião a igreja já terá sido arrebatada. Porém, muitos serão deixados e com os Judeus incrédulos, passarão pela Grande Tribulação. Será a ocasião em que muitos voltarão para Cristo. O Anti-Cristo estará dominando a terra por 3,5 Semanas Setênio. O Senhor estará reatando o Seu pácto com os Judeus. Está em marcha o movimento sionista desde Séc. XIX – autodeterminação do povo Judeu. (Jr. 30:10; 31:10;32:37). Diz Paulo: “O endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado (Rm. 11:25,26). E assim, “todo” Israel será salvo. Este é o tempo das 70 semanas de Daniel (Dn. 9:27). Neste final dramático, Israel se voltará para Jesus, aceitantando-O como o Messias (Apoc. 19:11-21; 20:1-3 e Zac. 14:1-4). O cap. 7, é um INTERLÚDIO “intervalo” –  Ato de  misericórdia e  decisão. Isto porque, o 7º selo, trará juízos piores do que os seis selos anteriores. Segue as duas visões: a) Dos 144 mil israelitas selados; b) Da multidão recem chegada da Grande Tribulação. Que ninguém vos engane com números, datas ou épocas! É fácil a observação da omissão da tribo de Dã. Por que será? Jeová perdoa os pecados; das consequências, o pecador é refén ( Lv.24:11; Jl 18; 1 Re. 12:28,29). Visão essa que acentua a misericórdia de Deus. Seja qual for a severidade, rigor, dos julgamentos sobre a terra, o Senhor sempre conservará Seu povo seguro (Sl.16 e 18). O cenário, excede no muito dos 144 mil. É de milhares de milhares. É tal qual a descedência de Abraão, “como as estrelas dos céus e as areias dos mares.” Eles procedem de um único eleito, mas de todas as nações, povos, tribos e línguas. É uma multidão poliglota, cosmopolita e multi-racional – um só rebanho; um só Pastor Jesus, o ícone do Santuário. É um fenômeno novo da transnacionalização da religião em uma direção Sul/Norte e Oriente/Ocidente (Haq. 2:14; Zac.14:8,9). Acima dos rótulos denominacionais deve estar nossa fidelidade a Cristo. Servindo a Deus, à igreja e à sociedade. Os fiéis não chegam ao Céu cansados, tristes e alquebrados e sim, vitoriosos e glorificados. Cristo é o Único Salvador. O coro está em circulos concêntricos em torno do Deus Pai, e do  trono de Cristo. “O Deus que nos ama é a eternidade que nos espera.” Aceite o governo dAquele que é maior do que o Santuário!    Rev. Mario