O DEUS SOBERANO É O CRIADOR DO UNIVERSO

Nº 228 –  BOLETIM DOMINICAL – 09 DE FEVEREIRO 2020

O DEUS SOBERANO É O CRIADOR DO UNIVERSO – Atos 17:24-34

Deus revela o seu amor e  seu poder nas obras da Criação e da Providência. Deus criou todas as coisas para o a sua própria glória. Deus criou, governa, sustenta e espera que sua criação o louve, adore e glorifique. Fomos criados para o louvor da sua glória. O nosso Deus é Deus vivo, santo e verdadeiro. Ele se importa com voce. Ele não o criou para sofrer. Voce tem direito de viver e de ser feliz ou pelo menos tem direito de buscar a felicidade. Sobre o fato de Deus ser o Único Criador, não cabe sequer discussão entre os cristãos cujo coração, descansa a fé bíblica do poder de Deus. “Pela fé entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das cousas que não aparecem.(Heb.11:3). O criacionismo, pelo método naturalista, tem como seu contraponto, a teoria evolucionista, que entrou em pauta mais uma vez, como se alguma necessidade justificacasse, senão, mais uma jogada política, cuja bandeira de cor americana, é um expediente ideológico, assim como  foi a “proteção da família e da igreja”, que dominou a eleição de 2018, pelos moralistas e conservadores sem escrúpulos, com pretensão politica e poder. A nova cartada em Cartaz de cinema é “Design Inteligente”, ou “ciência criacionista”, ou, “pseudociência”, defendida por Benedito Aguiar, ex-reitor da Universidade Mackenzie, e hoje, Presidente da CAPES, no governo Bolsonaro, diz ser, “Design Inteligente”, uma “Forma Moderna de Argumento Teológico”. Benedito guiar, Franklin e Sergio Queiróz, são conhecidos como os calvinistas de Bolsonaro, que ascenderam projeção no governo e têm-se alinhados a sua agenda, num flagrante conflito a laicidade do Estado, os tais, são defensores  da pena de morte, da torrefação do Estado social, amantes da política neoliberal, restrição à liberdade cristã, a liberdade de imprensa e a cultura. Entre as décadas dos anos 50 a 70, o Regime Militar, ou a “era do chumbo e da bala” a razão eclesial, teológica e bíblica se curvaram ao sentimentalismo populesco militar e ao  conservadorismo religioso e político ao sistema ditatorial. Existe um grave erro, teleológico (finalidade), nesta Nomeclatura, “Design Inteligente” ou criacionismo científico, em nome do moderno argumento teológico. Estes se dizem calvinistas, mas se fossem, o papel seria a vigilância do Governo, como regra, e não como subservientes do poder opressor e explorador. O “Design Intelitente” é um reducionismo bíblico-teológico sobre a cosmovisão judaico-cristão da criação, pelo Deus Soberano.. Não se trata de “Design Inteligente” e sim, de “Desire” ou “Vontade”, como expressão do beneplácito da vontade de Sua Soberania, Sabedoria, Poder e Ordem, sem qualquer necessidade, de apologia à negação do acaso, como propagados por tais teorias ciêncitificas ou até mitológicas sobre a criação. Não cabe o acaso na origem do mundo, na sua preservação e no seu destino. Ao contrário, da criação  à consumação, tem a sua origem em Deus. Estes físicos: L. Dolphin, E.H. Andrews, Lavoisier, Henry Morris, disseram: “É de suma importante crer no Vero Deus da Bíblia” Rv. Mario