O ANTICRISTO, O FALSO PROFETA E O HOMEM DA INIQUIDADE

Nº 153 –  PASTORAL – 24 DE JUNHO DE 2018

O ANTICRISTO, O FALSO PROFETA E O HOMEM DA INIQUIDADE

2ª Tessalonicenses 2: 1-17

Satanás está vivo e ativo no planeta terra: “Hal Lindsey”. Este é o tema do seu livro escrito há décadas. O Apóstolo Paulo no texto em epígrafe, denuncia a trindade santânica em sua infernal missão. Aliás, esta mesma trilogia satânica é vista por outro Apóstolo, o João, em seu Apócalipese – o dragão, a besta e o falso profeta (Ap. 16:13). Essas advertências apostólicas visam exortar os crentes a firmeza na fé em todo o tempo. Principalmente, em nosso tempo presente, dominado pela Nova Ordem – ou, Nova Era. Diante da percepção entre o “profano” e o “sagrado” que permeiam a nossa sociedade, no contexto do processo civilizatório contemporâneo é preciso ter convicção firmada do que voce crê, como voce crê e por que voce crê. O texto fala da apostasia, do aparecimento, do caráter e da derrota do homem da iniquidade. O Apóstolo João insiste sobre o ensino  do anticristo nas suas Cartas. O falso profeta e os falsos ensinos e os falsos mestres – operando sinais e prodígios, para enganar, aparecem em vários textos da Bíblia – do Antigo ao Novo testamento. A perene oposição de Satanás ao Reino de Deus, terá o seu climax com o aparecimento e a manifestação desta trilogia diabólica: O anticristo, o falso profeta e o homem da iniquidade. A Bíblia traduz para os nossos dias, em termos de modernidade e sutilezas as palavras “ abominável da desolação” de que falou o profeta Daniel (Mt.24:15; e Dn. 11: 11-31). A Bíblia fala que o homem da iniquidade poderá ser um líder mundial ou um governante que usará a religião para servir às suas finalidades blasfemas, ao reivindicar a lealdade dos homens a ele e que esses, o cultuem no lugar de Deus ( II Tes. 2:4; Ap. 13: 8 e 12). Ele exigirá lealdade total de seus súditos – tanto religiosa como política –  e empregará sansões econômicas para forçar os homens a essa plena submissão a ele (Ap. 13:16-17). A história universal comprova alguns desses energúmenos e fascínoras – que vai do nazismo ao fascismo e ao totalitarismo.  O aparecimento do anticristo e sua perseguição está em cena vivo e ativo contra os eleitos de Deus.                 Rev. Mario Ramos

 

 

 

Rev. Mario