O ANTI-CRISTO E O SEU PROFETA

Nº 206 –  BOLETIM DOMINICAL – 04 DE AGOSTO DE 2019

O ANTI-CRISTO E O SEU PROFETA – Ap. 13: 1-10

Vemos em nossos dias grande peleja das forças das trevas na tentativa de arruinar o plano de Deus. Sabemos que o plano do Eterno não pode ser frustrados. Em tudo Satanás quer imitar a Deus. Porém, não é conveniente banalizar a número 666, em edicões de Portarias de administração pública. O Grande Conflito – o Armagedom, a batalha final do Eterno Deus contra a sociedade humana iníqua – seus exércitos e o comando de Satã no Megido. Há uma trindade satânica: O Dragão (anti-Deus), a Besta (anti-Cristo, e o Falso Profeta (anti-Espírito Santo). Sabemos que Cristo veio não para condenar o mundo, mas salvá-lo (Jo.3:16-17). O objetivo entretanto do Dragão, da Besta e do Falso Profeta é de manter este mundo, se possível fosse, eternamente sob condenação. Desde os tempo dos Apóstolos, os crentes sabiam da vinda do anti-Cristo (I Jo.2:18). Era doutrina ensinada desde os tempos do Velho Testamento, especialmente no livro de Daniel. O anti-Cristo é aquele que se opõe a Cristo ou quer se colocar no lugar de Cristo. É aquele que auto-declara ser o enviado de Deus. O império romano criou uma situação, seletiva de “conforto”  de certa proteção a uma minoria, que usufruia da “pax romana”. Estes devotantes ao senhorio de Cesar, incondicionalmente, como “Cesar é o Senhor”, em lugar de: Cristo é o Senhor”. O culto ao Imperador, por incrivel que pareça, não foi imposto pela Casa dos Césares, foi antes, um movimento popular. Tudo em nome de prosperidade, de segurança e de paz. Assim o povo pediu e insistiu em erguer um templo para expressar sua gratidão a Roma e ao Imperador. O orgulho e a vaidade, somados às influências diabólicas (mentiras-polêmicas-controversas), se encarregaram de tornar o culto ao imperador tão parecido ao culto judaico e cristão, que a Besta se parecia com o Cordeiro, simbolo de Cristo, mas falava como o Dragão símbolo  de Satanás (vs. 11-12). O Dragão (Diabo), após fracassar à destruição da mulher (Israel) e seu filho prometido Jesus (Ap.12:4-6), “desceu a terra” em guerra contra o resto da sua semente (Gn 3:15). O sinal e o número da Besta são verdadeiras incógnitas. Esta imagem “fala”, “tem fôlego”, eram truques, encantamentos e artes diabólicas para enganar e destruir. Não é perfil e sim, satânico. “A sua chaga mortal foi curada” – v. 3: Alguns comentaristas acham que o anti-Cristo será um homem ressuscitado da morte, ou truque, cujo intento é levar a humanidade crer que o mesmo tem poder sobre a morte. “E foi-lhe dada uma boca para proferir grandes coisas e blasfêmeas” (v. 5; Dn. 7:8). “E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos e vencê-los” (v. 7; Dn. 7:25): “chifres” – poder e autoridade. “Aqui está a paciência e a fé dos santos” (v.10): Satanás fará uma destruição em 42 meses (3,5 anos). O  poder de Satanás é limitado em grau e duração. O mal pode continuar somente um pouco de tempo; A Justiça, para todo o sempre. A Besta que emerge do mar e da terra, serão destruídas.     Rev.Mario

. Rev. Mario