NATAL, NASCEU JESUS!

BOLETIM DOMINICAL – 16 DE DEZEMBRO 2012

!NATAL, NASCEU JESUS (Mq. 5:2-5)

Jesus nasceu! Jesus viveu! Jesus morreu! Jesus ressuscitou! Jesus foi assunto aos Céus! Jesus está à direita de Deus Pai! Jesus voltará! Jesus julgará o mundo! Jesus reinará! Esse Jesus vive em nossos corações! De um modo geral, para os cristãos, Jesus de Nazaré é o protagonista de um único ato e intransferível, pelo qual o homem adquire a capacidade de deixar a sua natureza decaída e atingir a salvação. Tal ato é consumado com a ressurreição de Jesus Cristo. A ressurreição é, portanto, o fato central do cristianismo e constitui sua esperança soteriológica (salvação). Como ato, é exclusivo da divindade e indisponível ao homem. De forma mais precisa, a encarnação, a  morte e a ressurreição compensam os três obstáculos que separam, segundo a doutrina cristã, Deus do homem: a natureza, o pecado e a morte. Pela Encarnação do Verbo, a natureza divina se faz humana.  Pela morte de Cristo, se vence o pecado e por sua ressurreição, a morte. E daí pela morte de Jesus o mortal se renasce para a vida eterna. Historicamente, o núcleo da doutrina cristã foi fixado no 1º Concílio de Nicéia em 325, com a formulação do Credo Niceno. Este Concílio é reconhecido pelas principais denominações cristãs: Católica Ortodoxa e de várias Igrejas Protestantes. O texto do Credo Niceno que se refere a Jesus é o seguinte:

Cremos em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, gerado do Pai desde toda a eternidade, Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai; por Ele todas as coisas foram feitas. Por nós e para nossa salvação, desceu dos céus; encarnou por obra do Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e fez-se verdadeiro homem. Por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; sofreu a morte e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; subiu aos céus, e está sentado à direita do Pai. De novo há de vir em glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim.

Jesus Cristo de Nazaré é também considerado a Encarnação e Filho de Deus Segunda Pessoa da Santíssima Trindade cristã. É Filho por Natureza, e não por adoção, o que significa que sua Divindade absoluta e sua humanidade absoluta são inseparáveis. A relação entre a natureza divina e humana foi fixada no Concílio de Calcedônia.  Feliz Natal! Jesus nasceu!             Rev. Mário Ramos