LUGAR DE GLORIOSA HONRA ?

BOLETIM DOMINICAL- 17 DE NOVEMBRO DE 2013

LUGAR DE GLORIOSA HONRA ? – Mt. 20: 17-28

Chegamos ao fim de mais um ano eclesiástico. Devemos neste ponto nos perguntar: Como deve ser na Igreja? O Senhor Jesus no texto acima prediz a sua morte sem ser compreendido. Em face disso, segue a revelação de um pedido de destaque de lugar de gloriosa honra ao lado do Senhor Jesus Cristo, quando na inauguração do seu reinado. Jesus aproveita o pedido equivocado para lhes oferecer uma lição. Jesus usa a figura de “governadores e maiorais, ou os governantes das nações. Tem uma autoridade administrativa, personalista, de força, de dominação. O ensino de Jesus é que: “entre vós não será assim; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva” (Mt.20:26). As autoridades da Igreja são aqueles que servem. Assim deve ser na igreja: Pastores, Presbíteros, Diáconos e Líderes. Eis a norma: 1) A diaconia – Jesus diz que aquele que faz é que tem autoridade. Somente o SERVIÇO PRESTADO, legitima a autoridade. Ou seja, a autoridade da Igreja não é uma mera questão política ou administrativa, mas uma questão de diaconia. Autoridade é quem serve à mesa, leva conforto aos outros, traz da dispensa os bens necessários para o sustento dos outros. João Calvino defendeu esta tese com maestria sem igual; 2) Aquele que promove o bem – Na Igreja tem poder (autoridade), aquele (a), que não faz medidas para o serviço, aquele que não calcula, que se todo para promover o bem. Poder na igreja é vivido na reunião de oração, na visitação dos enfermos, no atendimento aos necessitados, na procura dos encarcerados, no testemunho do Evangelho aos perdidos; e 3) – Autoridade é aquele (a) que se mobiliza – Quando uma desgraça nos atinge, um mal ameaça a família ou a cidade. Poder é a capacidade de, pelo trabalho dedicado, enxugar as lágrimas dos que choram, pesar as feridas dos sofredores. É assumir o caminho da cruz para a salvação dos perdidos, aflitos e necessitados. Devemos lembrar que a igreja não é o Estado  nem uma Empresa. Na Igreja mede-se a autoridade pelo serviço. Deus nos ajude a servi-Lo, no serviço da comunidade. Rev. Mario Ramos