JESUS É DEUS?

Nº 275 – BOLETIM DOMINICAL- 25 DE MAIO DE 2014

JESUS É DEUS? João 5: 19-24

A relação do Senhor Jesus com o Pai, deve nos chamar atenção e ao mesmo tempo, nos dasafiar em termos de relacionamentos com o  próximo e com Deus. Certa feita, Jesus disse aos seus discípulos que quem o via, via igualmente o Pai. De fato, o que faz o Pai, faz também Jesus. A mente de Jesus é a mente de Deus. Percebe-se que a relação de Jesus com o Pai, se baseia em duas dimensões: na igualdade, como Deus; e na obediência, como o Filho. Jesus executa as obras do Pai. Ele não cumpre a sua própria vontade e sim, a vontade do Pai que o enviou. Esta unidade de Jesus com o Pai, é um exemplo perfeito de unidade, pelo amor. Percebe-se  que o Pai não oculta nada do Filho (v. 20); que Jesus, nesta relação com o Pai, é aquele doador da vida agora e pós túmulo (v. 21);  que Jesus, recebeu a atribuição exclusiva de julgar (v. 22);  que ninguém pode desagradar o Filho e agradar o Pai (v.23) e que é preciso ouvir a palavra Jesus e crer naquele que o enviou como condição de vida eterna. Jesus é o doador da vida: “Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entre em juizo, mas passou da morte para a vida eterna” (v. 24). A nossa relação  com o próximo, convalida a nossa genuína relação com Deus, ou seja, quem efetivamente ama o seu próximo, ama de fato a Deus. Desta fotma, a nossa relação com Jesus torna-se verdadeira e perfaz a essência da genuína adoração a Deus, o Pai. A nossa vida humana é de tal maneira efêmera que não podemos dizer que estamos realmente vivos se não estivermos em Cristo. Que representam os anos da nossa vida diante da eternidade? Nada. Quantas pessoas estão iludidas agarrando-se à vida terrena, que desprezam ao próximo, a Jesus e à vida eterna que Ele oferece! È preciso entrar em uma nova relação com os homens. De sorte que o ódio se converta em amor; o egoísmo em solidariedade; o rancor em perdão. Isto significa entrar em uma nova relação conosco mesmos. Transformando debilidade em força; frustração em êxito; tensão em paz perene, de modo que a vida, já neste mundo seja algo novo e cheio de santas emoções. È preciso tirar a máscara da religiosidade inócua; e assumir uma nova relação de amor a Jesus e ao Seu Reino. É crer em Jesus e obedecer a Deus. Rev. Mario