JESUS, DE BOM A ENGANADOR

Nº 283 – BOLETIM DOMINICAL- 20  DE JULHO DE 2014

JESUS, DE BOM A ENGANADOR – João 7:1-24

Nosso texto acima é parte de um contexto amplo em que o Senhor Jesus, é o centro de uma discussão calorosa, inflamada e explosiva dos Judeus. Percebe-se que o discurso de Jesus que começa no Cap. 6:22-13:1-21, sofreu toda sorte de reações, culminando com a Sua traição. “Ditas estas cousas, angustiou-se Jesus em espírito e afirmou: Em verdade, em verdade vos digo que um dentre vós me trairá” (13:21). Agora, Jesus está na Festa dos Tabernáculos ou Festa das Peregrinações que durava sete dias. Os Judeus neste período, no deserto, moravam em barracas de galhos de árvores. Três Festas eram celebradas: A Páscoa, O Pentecostes e a Festa dos Tabernáculos (Lev. 23). Jesus foi fiel observador da Lei de Moises. Não legalista, mas cumpridor de toda a justiça. Por isso, Jesus estava presente às festas (v.3). Em meio à festa, Jesus ensinava no templo (v.14). Percebe-se que o povo estava admirado por causa da Sua sabedoria (v15).

Percebe-se que Jesus justificou a Sua sabedoria dizendo: “...O meu ensino não é meu, e , sim, daquele que me enviou” (v.16). Percebe-se ainda, que há uma solene advertência para todos aqueles e aquelas que, baseados em aparências superficiais, rejeitam a justiça de Deus (v.24). Os Judeus, defensores da lei, eram os descumpridores dessa lei. Como em nossos dias, os conhecidos por legalistas de plantão. Ou seja, são sempre exigentes como os outros e condescendentes consigo. Percebe-se que a nota dominante do texto é esta: “…Uns diziam: Ele é bom. E outros: Não, antes engana o povo” (v. 12). A pessoa de Jesus é de tal maneira impressionante que não admite vacilação. Cada um de nós tem uma posição definida diante de Cristo. “Quem não é por mim, é contra mim; e quem comigo não se ajunta, espalha” (Mat.12:30). Não existe posição neutra em relação ao Senhor. Ou Ele é bom, é o Filho de Deus, Salvador e Senhor; ou é um enganador. O que a sua experiência de vida pessoal de fé tem a testemunhar sobre a Pessoa de Jesus, Sua vida, Sua obra e Sua Missão? Saibamos disso: Seja qual for a sua opinião sobre o Senhor Jesus, em nada O modificará. Ele continuará Deus Soberano, o Único Senhor e Juiz de toda a terra. Que a sua escolha seja tal qual a de Pedro: “Senhor, para quem iremos?…tu és o Santo de Deus”. Rev. Mario Ramos