JESUS ANDA SOBRE AS ÁGUAS

Nº 279 – BOLETIM DOMINICAL- 22  DE JUNHO DE 2014

JESUS ANDA SOBRE AS ÁGUAS – João 6: 16-21

Era o fim de mais um dia cansativo para o Senhor Jesus. Ele pregou, curou enfermos, realizou milagres e ao cair da tarde, mandou que seus discípulos retornassem de barco para Cafarnaum enquanto Ele ficava se despedindo da multidão (vv. 16 – 17). Já se fazia noite quando Jesus foi ao encontro dos seus discípulos. Eles haviam se afastado de praia uns cinco a seis quilomentros quando Jesus foi ao encontro deles de um modo sobrenatural: andando sobre as ondas do mar! O mar estava à beira de um tsuname! “E o mar começava a empolar-se, agitado por vento rijo que soprava” (v.18). Percebe-se que os discípulos estavam sozinhos no mar. Jesus ficara em terra. Era noite. Um vento muito forte batendo no pequeno barco, prenúncio de catástrofe . Eles já estavam longe de Jesus talvez de 5 a 6 km da praia. È provavel que voce já tenha se sentindo ou até esteja se sentindo assim também, longe de Jesus, tomado por um mar revolto, espiritualmente. Noite escura, vento forte, ondas altas, circunstâncias contrárias e o sentimento de um Deus que parece distante, alheio às suas dificuldades. Foi assim com os discípulos (v.19). Percebe-se que foi assim aparentemente. Na verdade, Deus nunca se ausenta. Ele é “o nosso socorro presente nas tribulações…” (Sl 46:1). Percebe-se que no meio da noite e andando sobre as águas, Jesus veio ao encontro dos discípulos, entrou no barco e a viagem prosseguiu tranquila. O homem moderno, mergulhado neste mundo de tantas aflições, precisa mais que nunca de Jesus no barco de sua vida, para enfrentar com serenidade à noite pavorosa, as ondas medonhas e o o forte vento. Percebe-se que com “Cristo no barco tudo vai muito bem”. O Crente pode sentir medo. O homem normalmente sente medo diante do sobrenatural, do desconhecido, daquilo que escapa ao controle da sua razão. O medo entretanto, dura exatamente o tempo que persiste a ignorância sobre o que está acontecendo. Quando se tem certeza da presença fiel de Jesus, os terríveis transtornos, se transformam em sossego, paz e tranquilidade. Percebe-se que Jesus ausente, ambiente turbulento. Este quadro de fobias se dá por falta de fé. Naveguemos convictos da presença fiel de Jesus neste mundo de mar revolto. Solta o cabo da nau!!!     Rev. Mario Ramos