JESUS, A LUZ DO MUNDO

Nº 287 – BOLETIM DOMINICAL- 17 DE AGOSTO DE 2014

JESUS, A LUZ DO MUNDO – João 8: 12-30

Um dos Salmos mais belos, assim começa: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação;…” (Sl. 27:1a). O nosso texto acima, está divido em duas partes: Do vss. 12 – 20, Jesus afirma ser a luz do mundo; e do 21 ao 30, Jesus adverte-nos sobre as conseqüências do sub mundo das trevas. Percebe-se que as palavras de Jesus, tanto numa como noutra ocasião, soaram como blasfêmia aos ouvidos dos Judeus. No entendimento teológico deles só Deus é a luz dos homens. Porém, quanto a nós, podemos aceitar sem nenhuma restrição as palavras de Jesus porque sabemos que Ele é Deus. A polêmica criada pelos Judeus, quanto à declaração de Jesus ser a LUZ, de novo, é respaldada na lei de Moisés, com relação ao testemunho pessoal de Jesus (v. 17) O legalismo, a serviço da religião predominante – o judaísmo, era incapaz de perceber no Filho de Deus, a luz deste mundo. Portanto, sendo Jesus a luz, quem nEle crer, jamais andará em trevas (v. 12). Ao contrário, na segunda parte do texto, Jesus adverte solenemente: “que os que não cressem nEle morreriam nos seus pecados.”Por isso eu vos disse que morrereis nos vossos pecados…” (vs.24a). Jesus adverte-os dizendo: “Vou retirar-me, e vós me procurareis, mas perecereis nos vossos pecados”. (vs. 21). Há oportunidades na vida que são únicas. Não se repetem. Quantas pessoas hoje choram a sua sorte porque, certo dia, perderam determinadas oportunidades. Ninguém pode determinar o seu próprio tempo. Hoje pode ser o dia de sonhar com a presidência do Brasil. Dar uma bela entrevista na TV, e sair com a sensação de um passo bem dado. Mas, no dia seguinte, tudo pode acabar de forma trágica. Desta forma, a lei natural da vida, se cumpre em todos nós. Percebe-se que não se trata aqui de um ateísmo prático; ou de um existencialismo filosófico; antes, enaltecemos, a soberania de Deus, e seus planos para cada pessoa em particular nesta vida. A mais importante decisão da vida é sobre Jesus: Ela determina toda a nossa eternidade. Portanto, não é sábio adiar. Este discurso de Jesus nos faz confrontar com a nossa realidade de vida. O tempo que temos para aceitar a Cristo é limitado. É curto. Nós não somos “donos” do agora. É hora de decisão! Ande na luz de Jesus. Rev. Mario