INTERLÚDIO NO DRAMA DA GRANDE TRIBULAÇÃO

 

BOLETIM DOMINICAL – 12 DE JUNHO DE 2011

 

O INTERLÚDIO NO DRAMA DA GRANDE TRIBULAÇÃO (Ap. 7:1-17)

Vimos no Cap. 6, a abertura dos seis primeiros selos. Eles revelaram o juízo que virá sobre a terra na Grande Tribulação. Temos uma “teologia sangrenta” a ser digerida pelos sem conversão, os que não tiveram a credencial no arrebatamento da igreja (Mt. 5:8; 25: 1-13). Neste tempo de sofrimento, muitos se voltarão para Cristo mediante o preço da vida em ousadia na rejeição ao Anticristo. Este estará dominando a terra na última semana das 70 semanas de Daniel (Dn 9:27). Na metade da semana, três anos e meio, o Anticristo, se assumirá, descumprirá o pacto e trairá Israel. Neste final dramático, Israel se voltará para Jesus aceitando-O como o Messias, e então serão salvos da destruição fatal – corpo e alma (Ap. 19:11-21 e 20:1-3; Zc.14:1-4). Razão do porquê deste INTERLÚDIO, dentro do processo de julgamento divino.E DEPOIS DESTAS COISAS VI 04 ANJOS QUE ESTAVAM… (v.01) Depois da abertura dos seis primeiros selos e ante a abertura do 7º selo reservado no Cap. 8, João tem neste Cap. 7, duas revelações a saber: 1) Sobre a Terra – os 144.000 israelitas selados pelo Espírito Santo, durante o período da Grande Tribulação; 2) Sobre o Céu – A entronização dos 1444.000 redimidos por Cristo à igreja invisível, que já estará no céu. Portanto este intervalo de tempo é conhecido como o tempo da Misericórdia Judaica. O povo Judeu, não aceitou a Jesus como o Messias esperado de Israel (Jo. 1:11-12). Mas Deus é fiel e cumprirá a promessa feita a Abraão, Isaque e a Jacó. Portanto, esta UMA semana que falta é o tempo de acerto direto com Israel, quando finalmente, se reconhecerá em Cristo, o Messias prometido e nEle receberão em pleno transe agudo de sofrimento a Misericórdia e serão salvos (Rm. 11:1,23-32). “QUEM SÃO ESTES E DE ONDE VIERAM?”(V.13). João não sabia. Então respondeu: Senhor, tu sabes. O Ancião respondeu que eles haviam vindo da Grande Tribulação (Vs. 13-14). Eles foram salvos em face a seus sofrimentos. Contudo, pelo ato de misericórdia de Deus. Estes mártires foram mortos pelo Anticristo, mas agora descansam à sombra do Onipotente (v.15). Eles foram atormentados pela fome; torturados pelo exército do Anticristo e amarrados em lugares desérticos sem água, comida, ao relento da natureza (v. 16). Toda sorte de torturas sofisticadas de dar inveja às “bestas” Nero, Hitler e Mussolini, lhes foram impostas. Eles sofrerão a pena de morte por degolamento (Ap.20:4). DEUS LIMPARÁ DE SEUS OLHOS TODA A LÁGRIMA(v.17). Deus mostra o carinho de uma Mãe, tanto como de um Pai; mostra tanto sua ternura maternal em confortar e consolar, como o seu amor paternal em defender e suprir.” (Is.66:13). Rev. Mário Ramos