IGREJA, RESSURRETA COM CRISTO?

Nº 32 – BOLETIM DOMINICAL- 06 DE SETEMBRO DE 2015

IGREJA, RESSURRETA COM CRISTO? Rm. 6:1-14

A Igreja, como Corpo, cuja Cabeça é Cristo, foi comprada e rsgatada por sua morte na Cruz, participa do ministério e da missão do Cristo Ressurreto. Assim como afirma Paulo, “morremos com ele na morte, pelo batismo,..fostes ressuscitados com Cristo (6:4). A Igreja é a Comunidade dos discípulos de Jesus, ou seja, dos que incluídos, por obra do Espírito Santo, na humilhação de Cristo, participam, com Ele, da sua glorificação. Este não é um conceito meramente material. O que o Apóstolo está afirmando é que a igreja, por participar da missão do Cristo Ressurreto neste mundo é, por isso mesmo, o instrumento de Deus para introduzir os poderes da nova ordem que entram no mundo pela ressurreição. A igreja não vive mais sob o domínio de preceitos, preconceitos, leis, normas e doutrinas humanas. Estamos livres do legalismo como forma de vida, estamos sob outra ordem. Na nova ordem as normas, regras e leis continuam válidas, mas estão à serviço da igreja, e não a igreja à serviço destas. A igreja é, pois, a semente do novo tipo de sociedade, de uma nova ordem de relação, de um outro modo de se estabelecer a convivênvcia entre os homens. Os cristãos, “despidos do velho homem…, resvestiram-se do novo homem, segundo a imagem de Cristo. Tal fato trás sérias consequências para a igreja e o mundo. É como se em uma grande parte de mármore, um dos blocos resolve-se limpar a sujeira  que o tempo lhe impôs, ficando, em meio à parede toda, alvo como a neve. Embora não tenha ele incomodado diretamente os blocos que o cercam, sua atitude tornou clara a sujeira dos demais. Sua limpeza revelou as marcas, os acréscimos e as sujeiras cumulados sobre os outros. A atitude crítica da igreja neste mundo nasce mais do que ela vive do que, meramente, daquilo que ela diz. O modo de ordenar a sua vida revelará a ordem caduca deste mundo vil. A nova ordem da igreja, feita a partir dela mesma, com sua vida, sua esperança, sua alegria, seu serviço ao ser humano, sua valoricação da vida, do amor, acaba, pois, por denunciar a desordem deste mundo. A igreja foi ressuscitada com Cristo: vivamos de modo dígno dessa nossa vocação!        Rev. Mario Ramos