IGREJA NÃO PREÇO E SIM VALOR

BOLETIM DOMINICAL- 09 DE JUNHO DE 2013

IGREJA NÃO PREÇO E SIM VALOR – Ageu 1: 3 – 11

Nosso profeta é a única pessoa com esse nome mencionado no A. Testamento. “Ageu” significa “festivo”, por ter o mesmo nascido numa  festa. Numa visão panorâmica, apreciamos no ano 520 a.C. os seguintes fatos históricos: O restante do povo havia retornado da Babilônia e as festas restituídas; o alicerce do novo templo fora lançado. Mas a obra de restauração foi paralizada em virtude da oposiçao de vizinhos hotis e da indiferença nacional; Dario Hispastes favoreceu a obra quando ascendeu ao trono da Pérsia, e Ageu e Zacarias exortaram o povo à obra restauradora em sua mensagem profética à nação. A incumbência que Ageu recebeu do Senhor era despertar o povo à construir o Templo destruído por Nabuconosor em 586 a.C. Ele começa com a reconstrução do templo, mas prossegue falando do abalo de todas as nações, da vinda do Senhor, e da glória do seu reinado milenial. O Senhor estava descontente com a situação do abandono de sua casa, e por certo nenhuma glória havia recebido por causa da desobediência e do desinteresse do povo. A Igreja de Cristo não tem Preço e sim valor. “Voce tem valor, o Espírito Santo se move em você…” Eis os benditos resultados da obediência que são aqui notados. Em suma Ageu está dizendo: “Daí a Deus o supremo lugar de sua vida.” Deus seria portanto honrado na adoração do seu povo. Uma atitude cordial de obediência revelar-se-ia em adoração e gratidão da parte deles, revelando o real valor daquilo que prescende à Igreja. O Senhor deixou muito bem claro, a maneira de como Ele seria glorificado. O Talmude Babilônico dizia que faltavam cinco elementos no Templo de Zorobabel, os quais estavam presentes no Templo de Salomão: 1- A Arca da Aliança, 2- o fogo sagrado, 3- a glória da Shekiná, 4- O espírito de profecia – o Espírito Santos, e 5- o Urim e o Tumim. Falte lá o que faltar, Deus promete que sua bênção estará presente valorizando a fé de seu povo. Nada será feito em vão (I Cor. 15:58). Deus promete fazer Zorobabel como um sinete, porque ele, o Senhor, o escolheu. O sinete, ou seu selo, era marca de honra e autoridade. Era objeto de cuidado e prazer (Ct. 8:6; Jer. 22:24). Era muito valorizado. Tudo isso, prefigurava o Cristo por ser precioso. Rev. Mario