IGREJA AUTÊNTICA, MAS SEM AMOR

Nº 184  BOLETIM DOMINICAL- 03  DE MARÇO DE 2019

IGREJA AUTÊNTICA, MAS SEM AMOR – Apocalípse 2:1-7

Vimos à visão do Cristo Ressurreto e sua Glória no Cap.1. A 2ª parte do livro trata das coisas que são, isto é: “A Igreja no presente” Caps.2,3. As Sete Igrejas representam todas daquelas da época, e todas do presente tempo; a 3ª parte, vai do Caps. 4 ao 22, esta seção trata das coisas do futuro. O Cristo glorificado que passeia no meio dos sete candeeiros de ouro (Ap. 1:12-13; 2:1), ainda diz:”Tenho, porém, contra ti, que abandonaste o teu primeiro amor” (2:4). Vemos que o verbo “abandonar” aponta para uma ação consciente e não acidental. Há 30 anos antes esta igreja fora elogiada por seu amor (Ef. 1:15-16). A advertência do Cristo glorificado é severa ao remover da Igreja sua utilidade. Em torná-la uma caricatura de igreja inoperante na sua essência e missão (Ap. 2:5c). É triste a história da igreja no Brasil e no mundo. Em especial, no Brasil no pós-democracia, década de 80, a deterioração da igreja, atingida em cheio pelo “fermento dos fariseus e dos saduceus” (Mat.16:6). Paulo já advertia:” Acautelai-vos dos cães! Acautelai-vos dos maus obreiros…” (Fp. 3:2). Com raras exceções a igreja cristã tornou-se uma igreja criminosa, sem amor, fervor e temor. Uma Igreja institucionalizada voltada para si mesma e seus líderes, aqueles acólitos gananciosos e ignóbeis no procedimento. A igreja de Éfeso perdeu o seu 1º amor. Eis as características perdidas: 1) Abandonaram o Evangelho da Cruz do Cristo Redivivo; 2) Formalidades na adoração sem Deus; 3) Ausência do temor do Senhor em suas obras; Falta de disposição em assumir posição em prol da  justiça, da humildade e da misericórdia; Abandonaram às frentes de batalha nos cultos e no testemunho cristão; os que são amantes de si mesmos e não se importam com os necessitados; os que não se sacrificam em prol da causa de Cristo; os fundamentalistas e dogmáticos quase sempre perderam o primeiro amor. Cristo exorta em alto e em bom som: “Arrepende-te, e voltas às primeiras obras!”. (Ap. 2:5b).

Rev. Mario Ramos