FUNÇÕES DINÂMICAS DA IGREJA: EVANGELIZAÇÃO

Nº 46 – BOLETIM DOMINICAL- 20 DE MARÇO DE 2016

FUNÇÕES DINÂMICAS DA IGREJA: EVANGELIZAÇÃO At. 1:1-14

“ A Igreja que não evangeliza, morrre”. Este slogan ecoa desde dos anos 50, quando o Rev. Amantino levou a Igreja Presbiteriana do Rio à evangelização urbana e nas Comunidades. O nosso PPIG, é resultado de um esforço evangelístico adotado na nossa região com o propósito de plantação de novas Igrejas. Assim, nasceu a nossa Igreja Presbiteriana do Tatuquara. Somos herdeiros desta boa semente. Temos a responsabildade do testemunho de nossa fé, da pregação do Evangelho e da glorificação de Deus. Quem não evangeliza, acaba sendo “evangelizado” por alguém. Quem não age como missionário, transforma-se em um campo missionário. O nosso ideal é: cada crente um evangelista, cada crente um missionário. Precisamos multiplicar. O nosso alvo é Consolidar a nossa Igreja cem uma Igreja forte, saudável, idônea, auto sustentavel, auto governavel e auto propagável. O Evangelho precisa ser difundido em nosso bairro. Temos como propósito crescer de forma holístico – Integral e Integrado. A essência da dinâmica ministerial é o tripé: EVANGELIZAÇÃO, EDUCAÇÃO E AÇÃO SOCIAL. Esta é sem dúvida, a função dinâmica por excelência da Igreja. É claro, a Igreja também tem a sua tremenda responsabilidade política, pois somos todos cidadãos e devemos orar e sustentar nossas autoridades e o nosso Estado Democrático de Direito. Mas, para o momento, é a evangelização agressiva, planejada, ordeira e corajosa que se dá o crescimento da Igreja. Cremos no sacerdócio universal do cristão e no indispensável envolvimento dos leigos na obra do discipulado e da evangelização. Nós presenciamos este efeito poderoso na vida da Igreja Presbiteriana americana, quando tivemos por lá em 1993, na Flória, em Boka Raton. Fazer discípulo para Cristo não é uma opção, é uma ordem do Mestre, Jesus. É uma questão de obediência, amor e fidelidade. A mensagem não muda, mas os métodos, sim. Podem e devem ser atualizados. Não queremos crescer a qualquer preço. É preciso ter ética nos métodos de evangelização. A  nossa missão é pregar, conversão é obra do Espírito Santo. Façamos a nossa parte, porque Deus não falha! Rev. Mario Ramos