FORÇAS TERRÍVEIS DO ABISMO

Nº 198 –  BOLETIM DOMINICAL – 09 DE JUNHO DE 2019

FORÇAS TERRÍVEIS DO ABISMO – Apoc. 9:1-12

As “forças ocultas” que o Presidente do Brasil, Jânio Quadros, culpou pela sua renúncia em 1961, eram as empreiteiras, (Construção de Brasília), hoje, alvo da Lava Jato. Jânio Quadros, foi eleito com o discurso afinado no combate à corrupção. Quem não se lembra da musiquinha no horário gratuito da TV, e sua vassoura veloz varrendo a corrupção? Disse Jânio: “Falei em forças terríveis porque ocultas nunca o foram.” Este é o ambiente de sempre: a corrupção generalizada da raça humana – Depravação Total – desde a Queda, a necessida de Justiça, pecado e condenação, como afirma o Apóstolo Paulo (Rm. 1:18-32; 2:1-29). “Tribulação e angústia virão sobre a alma de qualquer homem que faz o mal, do Judeu primeiro, e tambem do grego;” (2:9). A cena dos juízos no Cap. 9, é dramática. Tal como,  os dramáticos acontecimentos proféticos que já estão presentes no planeta. Desde a  chama Pax Romana: tempo de paz, de bem-estar e de justiça para uns – tempo de opressão, de miséria e de arbitrariedade tirânica para outros! Queira voce ou não, é preciso aceitar a realidade. As três trombetas dos “AIS” vão tocar. “Naqueles dias os homens buscarão a morte e não a acharão; tambem terão ardente desejo de morrer, mas a morte foge deles.” (v.6). Será tempo de inutilidade de Pastores, padres, psiquiátras e psicólogos. Diz o canto do agoureiro: “Ai,Ai,Ai, dos que habitam sobre a terra”. (Apoc. 8:13). Soa a 5ª trombeta. Cai do céu à terra uma estrela. Eis que ela tem a chave do abismo. Abriu-se o poço do abismo, e das profundezas insodáveis e obscuras saiu fumaça da grande fornalha. Houve trevas e um suspense no ar. Com a fumacha sairam gafanhotos e insetos estranhos, com o poder semelhante a dos escorpiões. E os gafanhatos não atacam a vegetação, como seria de se esperar. Eles atacam aos homens que não tinham o selo de Deus, àqueles que não pertenciam ao Senhor. Não ferroam para matar, só para ferir. Há feridas que doem mais do que a própria morte. Neste desespero apocalíptico, os homens, sem Cristo/Messias, quererão morrer, e não o conseguirão. A morte fugirá deles. Neles se alojarão o terror noturno e o espanto. O conceito de “abismo” era o lugar onde estavam aprisionadas as águas. Nas narrativas da criação eram águas que ccirculavam a terra. “O Espírito de Deus pairava sobre o abismo.” Na literatura profética, “abismo” era o lugar onde ficavam os inimigos de Deus, que mesmo ali, não escapavam ao controle do Senhor (Am. 9:3; Is. 51:9-11; Sl 139:8); Um terceiro conceito de  “abismo”  é o de uma abertura na terra sólida, sem fundo (Is. 24:21-22). Os inimigos de Deus, os rebeldes, serão aprisionados no abismo. No Apocalípse, o “abismo” não tem firmamento e nem solo; não tem água, nem aves; era um  lugar desértico e caótico. O poço do abismo retinha  os espíritos demoníacos e as forças ocultas destruidoras do mal. O chefe êmulo “o anjo do abismo” é ABADOMDestruidor, Eis que vem ainda dois “AIS”. Rev. Mario Ramos