EU ERA CEGO, AGORA VEJO

Nº 290 – BOLETIM DOMINICAL- 14 DE SETEMBRO DE 2014

EU ERA CEGO, AGORA VEJO – João 9: 13-41

Vimos no Domingo passado como o Senhor Jesus curou o cego de nascença. Razão porque o texto em epígrafe, mostra-nos a forte reação por parte dos fariseus. Há ameaças de morte. Há ameaças de retaliação, com a expulsão da Sinagoga. A vida de um Judeu estava ligada ao templo e nos dias de Jesus, à Sinagoga, como condição de sobrevida. Diante da cura incontestável do cego de nascença, surgiu, pois, um dilema de difícil solução para eles. Lá estava o homem curado, bem diante deles. Nascera cego e agora via perfeitamente. Eis o testemunho do próprio cego: “…Eu era cego, agora vejo”. (25c). Percebe-se que só Deus podia fazer tal proeza. Portanto, ou eles encontravam uma forma para negar o milagre ou teriam que acreditar, de certo modo, na natureza divina de Cristo. Ou seja, admitir se tratar de um profeta – o Messias prometido, em Cristo, cumprido. Esta cena nos coloca diante de um quadro que chega a ser pitoresca: de um lado, os fariseus cheios de presunção; do outro o ex-cego, respondendo às perguntas ironicamente, deixando cada vez mais confusos estes fariseus. Disse-lhes o cego: “…porventura quereis vós também tornar-vos seus discípulos?” (v.27b). Percebe-se que o ex-cego se dá por discípulos de Jesus. O conceito que ele tinha a respeito de Jesus, foi progressivo. Sua fé foi crescendo à medida  que ele foi sendo testado até à obediência final. Percebe-se que a idéia que o ex-cego tinha sobre Jesus passou por três etapas: 1 – O HOMEM chamado Jesus (v.11), esta afirmação de fé estar presente na confissão para a salvação. É preciso crer que Jesus era o Deus-Homem, “o verbo que se fez carne e habitou entre nós”; 2- É PROFETA, respondeu ele (v.17). O profeta é reconhecido pelos seus feitos. Quando Jesus descobriu os segredos da mulher samaritana ela também reconheceu: “Vejo que tu és profeta” (v.4: 19); 3 – Crês tu no Filho do homem perguntou Jesus? E ele ponderou: “Quem é Senhor para que eu nele creia? (v.36) Jesus lhe respondeu: “Sou eu que contigo falo”. Aliás, a mesma declaração fez Jesus à mulher samaritana. Desta forma o ex-cego confessou a Jesus: “…creio, Senhor; e o adorou.” (v.38. O milagre há de ser sempre um meio que atende a um fim, a glória de Deus. Rev. Mario