ENTRE A CRISE E O MILAGRE, MARCHEMOS SIM, AVANTE!

Nº 260 –  BOLETIM DOMINICAL – 27 / SETEMBRO / 2020

ENTRE A CRISE E O MILAGRE, MARCHEMOS SIM, AVANTE! Êxodo 14: 3-18

Anne, minha preciosa neta de 3 anos e 4 meses, não tem a noção do que acontece no Brasil vestido de verde e amarelo. A geração da Anne, exige que oremos,  lutemos e marchemos como povo heróico e retumbante. Servimos a um Deus Vivo e Verdadeiro, Aquele que criou os mares, e os oceanos, dividiu o mar vermelho e andou por sobre as águas. O Deus Fiel está presente na  sua vida ao passar pelas águas, pelos rios e pelo fogo (Is. 43:2). É Deus que acende a luz nas trevas! “..tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança,” (Rm.5:3,4). Então,Marchemos! Não podemos abdicar do nosso Brasil, de um “sonho intenso, um raio vívido de amor” às nossas crianças. “Ès mãe gentil…” No fragoso alcantil, na amplitude celeste, um hino ao Senhor”, ainda que, sob o manto cinzento de fuligem ardendo em chamas. O braço impávido não descansa na amazônia verde, no cerrado e na caatinga. Infelizmente, a sociedade moderna entendeu de uma forma diferente, resultando no aparecimento de um homem  (Agronegócio) “dominador e escravizador das forças da natureza para o benefício individual e social. O homem do terceiro milênio e, principalmente o cristão, precisa saber que o mundo não é fruto do seu capricho e desejo. O mundo é bem anterior ao próprio homem e não lhe pertence; pertence a Deus, Seu Criador (Sl. 124:1) Contudo, o mundo lhe foi dado como sua casa  cabendo-lhe a tarefa da boa mordomia e administração, ambiental sustentável. ´A ecoespiritualidade  tem a ver com a ecologia e a fé. São pressupostos bíblico, teológico e  existencial. Desde a Conferência de Kyoto-Japão 1997, até o momento, o que as igrejas e os púlpitos têm conscientizado sobre a espiritualidade ecológica? Desde o Éden, a lei cultivar é trabalhar a terra, e guardar é preservá-la (Gn.2:15). A fé bíblica na providência divina abraça a ciência à espera da Vacina contra a Covid-19, com 140 mil mortos e mais 4.6 milhões infectados. A falta de ética e o problema da corrupção endêmica, não dão tregua, cuja lama, nascente da “Bahia da Guanabara-RJ”, passa pelo Planalto e contamina o Brasil inteiro. No espelho da lama, nos vemos e nos envergonhamos, seja pelos rejeitos de Brumadinho e Mariana, seja pelo capitalismo de exploração e destruição, seja pelo sistema neoliberal faminto, abusivo, e desumano, seja por Flordelis e seus simulacros, no Congresso, (bancada “evangélica” com 195 Deputados ganaciosos); seja pelo “centrão partidário de pastores” midiáticos e fisiológicos, que silentes, não dão um pio, sobre absolutamente nada, agressivo, funesto e lesivo aos bons princípios, a moral e a justiça. Como no caso da menina de 10 anos, submetida ao aborto “interrupção legítima”. E cruelmente, vítima do “fanatismo religioso”. O conchavo é assustador entre a política e a religão num misto de prevaricação e prostituição religiosa (Os.4:4-19; Mq. 7:1-10), “os seus príncipes amam apaixonadamente a desonra.”(Os. 4:18b). Por onde andam: R.R. Soares, Edir Macedo, Valdomiro Santiago, Silas Malafaia, Marco Feliciano, Manoel Ferreira, Pr. Everaldo, Josue Gonçalves, Pr. Cláudio Duarte, Josué Brandão, Agenor Duque, José Wellington, Renê Terra Nova, Samuel Câmara, Marcio Valadão, Rina, Hernandes Dias, Estariam estes líderes mais influentes do Brasil Gospel, apenas orando, por sua Excia Presidente da República no Planalto Central? A sociedade e, em especial nós cristãos, queremos ver os lúcidos, os puros, os dígnos, os honrados e arautos da Verdade e do Reino, profetizando e apontando a solução diante de tamanho sofrimento e apreensão. Desde 2016, pra cá, a palavra “impeachment” tem-se banalizada, e chegamos a três Governa- dores prestes ao impedimento. Este é o reflexo de uma sociedade doente. Entre a crise e o milagre, a solene manifestação da misericórdia e da graça de Deus. Rev. Mario Ramos