EIS QUE FAÇO NOVAS TODAS AS COISAS

Nº 220 –  BOLETIM DOMINICAL – 17 NOVEMBRO DE 2019

EIS QUE FAÇO NOVAS TODAS AS COISAS”  –  Ap. 21:1-8

Novo céu, Nova terra e Nova Jerusalém. Na visão final do Apocalípse, vêm-se todas as coisas feitas novas e consumadas (Ap. 21:5). É a aurora do Grande e Eterno Dia. Não haverá mais conflitos, nem tribulação. A própria paz do milênio foi corrompida ao sair Satanás do abismo (Ap. 20:7). Mas no tempo da última visão do vidente João, o Verbo de Deus (Cristo), o Rei, terá destroçado e completamente destruído os exèrcitos dos reis do mundo inteiro e Satanás, o Anti-Cristo e o Falso Profeta serão encerrados para sempre no lago de fogo. Haverá então a doce e eterna paz porque o Príncipe da Paz (Cristo),, reinará pelos séculos dos séculos. Esta é a utopia bíblica realizavel. Como utopia não é um objetivo, é um processo. Este processo defini um horizonte possível que se permiti caminhar em direção ao horizonte…Nada a ver com a utopia, segundo Thomas More. “Todas as coisas novas” (Ap. 21:1-8). É uma nova criação; passou o que era velho, “eis que se fez novo” (2 Cor. 5:17). Portanto, haverá sim, um novo céu, uma nova terra onde habita a justiça, a verdade e o amor. A era messiânica não fala de uma nova ordem de coisas em um mundo velho e sim; “eis que faço novas todas as coisas”. Trata-se do lar eterno dos remidos, do lugar que Jesus foi preparar, “a casa do Pai, as moradas celestiais” (Jo. 14:1-3). “Novo céu e nova terra”. O primeiro céu e a primeira terra passaram. Como diz Pedro (2 Pe. 3:10). Haverá uma profunda mudança neste universo físico. Novos horizontes se levantarão. Os céus e a terra serão novos; e nós com os nossos corpos glorificados, incorruptiveis, espirituais, não estaremos mais sujeitos às limitações do tempo e do espaço. Voaremos livres nos espaços sem fim da eternidade. “O mar já não existe” Na simbologia bílblica “o mar” é a personificação do mal, do desconhecido, do misterioso, do insondável. Já o rio é simbolo de vida. “Vi a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu.” A Jerusalém ideal, da qual a Jerusalém histórica ou oriental é sombra apenas. Platão sustentava que num mundo invisível existia as formas perfeitas ou ideias de tudo o que existe no mundo material. Haverá a restauração de todas as coisas. Estes novos céus e esta nova terra têm muito a ver com a reedição do Paraíso de Deus. Em assim sendo, o fim de todas as coisas será semelhança ao começo. “Eis o tabernáculo de Deus com os homens” (v. 3). “Novo céu, nova terra e nova Jerusalém”. Deus estará conosco. Jesus está conosco hoje. Não haverá mais choro, nem pranto, nem dor, nem morte, nem luto. A delcaração de Deus é: “Eis que faço novas todas as coisas” (v. 5). Tudo está feito! Tudo está consumado! Ele é o Alfa e o Ômega. “O vencedor herderá estas coisa” (v. 7) Há uma vitória ganha em Cristo. Nele nós somos mais que vencedores e herdamos todas estas bênçãos. Reinaremos com Cristo. “Ficarão de fora”: Todos que rejeitaram a Graça Salvadora em Jesus. Tudo que Jesus preparou para nós é direito nosso; é nossa herança! Rv. Mario

 

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com