É TEMPO DE AGRADECER

Nº 274 – BOLETIM DOMINICAL- 18 DE MAIO DE 2014

É TEMPO DE AGRADECER – Sl. 105:1-15

Vale apena parar para agradecer. Interromper para agradecer é manifestamente uma expressão do genuino louvor. Vivemos numa sociedade moderna, consumista e capitalista, onde o sistema deste mundo, quase não nos permite parar sequer para agradecer. A genuína adoração procede de um coração cheio de agradecimento a Deus. O salmista nos oferece algumas razões para sermos gratos a Deus: 1) Render Graças ao Senhor: (v.1) – O Salmo começa com a convocação geral de render graças a Deus; na verdade, o sentido é de “confessar e reconhecer”. Desta forma, entendemos que aquele que está cheio de gratidão, confessa diante de Deus e da Igreja, todos os benefícios que recebeu do Senhor (Sl 116:12); 2) Render Graças Àquele Que Só Faz Maravilhas: (v.5) – As suas maravilhas são parte do Seu poder e propósito. As suas maravilhas são a prova de sua fedelidade. Ele não apenas promete, mas torna em realidade todo o Seu projeto posto diante de nós para que creiamos nEle e tomemos posse de sua bênção. Perceba que o Salmista Davi, em sua oração suspira e clama pelas maravilhas da bondade do Senhor (Sl.17:7); 3) Render Graças ao Único Deus: (v.7a). Vivemos tempos difíceis em que o politeismo (vários deuses), são multiplicados da noite para o dia. Existe no coração vazio do ser humano, uma tremenda  necessidade de ser preenchido do sobrenatural, ou seja, de algo mais forte e mais poderoso do que o homem. A natureza humana tem a faculdade da adoração. Perceba que o salmista não está reconhecendo existir outros deuses, pois as Escrituras os definem como obras das mãos dos homens, que são nada e não podem nada (Sl. 115:3-8). Devemos aprender que Deus é um  Ser único e singular. Mesmo que na trajetória da humanidade, a mente tenha criado muitas divindades, nenhuma delas foi capaz de revelar poder, sabedoria, amor, misericórdia, fidelidade e graça para com os homens, a não ser o único Deus. Hoje é dia de confessar e reconhecer o milagre da vida e vinda da Mariana R. F. de Oliveira. Porque ela nasceu pela 2ª vez, uma concepção fruto da intervenção divina via à oração. Deus operou tambem na vida da Mariana, lhe deu família, pais e um doce lar.         Rev. Mario Ramos