DO NATAL DE JESUS AO VEREDITO DIVINO

Nº 179  BOLETIM DOMINICAL- 23 DE DEZEMBRO DE 2018

DO NATAL DE JESUS AO VEREDITO DIVINO  – Mt. 1:18-25

O Natal dos sonhos está dentro de voce, na sua consciência. A Encarnação, a morte expiatória, a ressurreição e a ascensão de Jesus, eis aí a essência do Natal. Nasceu o Salvador! É Cristo, o Único Redentor. É o Messias prometido que veio como Emanuel: É Deus conosco pecadores (Jo.1:14). É Deus em Cristo reconciliando consigo o mundo. Jesus pagou um grande  preço. Foi uma morte substituta. Jesus não pecou. Jesus se fez pacador. O seu próprio povo O matou sob Caifás. O seu julgamento foi o mais injusto da história. O veredicto divino foi implacável com Jesus na cruz.  Ele foi feito pecador, para que nEle, fôssemos feitos justiça de Deus. Morreu por causa dos nossos pecados (Isaías 53: 1-11). Esta morte foi por voce.  Ele morreu por nós. Cuja morte expiatória se é suficiente a todos, é no entanto, eficiente a alguns. Razão porque o Natal  são boas novas, de grande alegria. O natal nos convida até a cruz de Jesus como o nosso único e suficiente Salvador (Rm. 10:8-11). O anúncio é celestial:” Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mt. 1:21). Se Crê, feliz Natal para voce! O Natal genuíno nos desafia a rever: 1) A História e os Eventos-Um certo médico-historiador gentio e não discípulo de Jesus, era arguto, atento e pesquisador. Ele relata um recenseamento feito por Roma. Imperador era Tibério Cesar. O Governador era Quirino. A família de Jesus estava em Belém. Neste contexto político, social e religioso, nasceu Jesus; 2) Simplicidade e grandiosidade do Natal – Jesus nasceu no humilde presépio, na manjedoura sobre o feno, envolto em panos, cercado de anjos, pastores, ovelhas e bois. Nasceu o Redentor do mundo. Mas, sobrevestido do manto celestial. O anjo, os reis magos, as estrelas, elementos transcendentes indicavam o nascimento de um soberano; 3) Extraterrenidade e Espiritualidade– Em se tratando de Jesus Cristo, o Messias, Ele veio do céu. Pois Ele é preexistente. É eterno. Deus de Deus; luz de  luz.   Rev. Mario

 

Rev. Mario Ramos