DIA DA ESPERANÇA

BOLETIM DOMINICAL- 03 DE NOVEMBRO DE 2013

“DIA DA ESPERANÇA” –  I Cor. 15: 1-23

Assim diz o chavão popular: “Para tudo existe solução, menos para a morte”. Pois bem, as Escrituras Sagradas afirmam ao contrário. E nós cremos, ensinamos e pregamos a ressurreição de Jesus e a dos seus fieis. “Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará juntamente em sua companhia os que dormem” (I Tes. 4:14). “Aos que dormem”, é o corpo, sepultado e não a alma dos crentes, como ensina os Adventistas. Isto ocorre entre a morte e a ressurreição (I Cor.15:35-50). O nosso Redentor e Salvador Jesus, será sempre o nosso parâmetro para qualquer interpretação das Escrituras. Tudo se explica a partir de Jesus. Se no Antigo Testamento, a pessoa referencial será o Messias que virá. Se no Novo Testamento, o Cristo que veio, morreu e ressuscitou ao terceiro dia para a nossa justificação no seu sangue (Rm. 5:1-11). Ou seja, o Messias da promessa e o prometido. É preciso ter cuidado para não nos envolvermos com certas tradições, costumes e hábitos perniciosos aos ensinos da Palavra de Deus, a Bíblia. É preciso firmeza de fé e doutrina diante de postura ante as filosofias do nosso tempo. A igreja de Cristo, em toda a sua vida, na sua pregação, nos seus sacramentos, como na sua ética, é representação e realização da morte e da exaltação do seu Senhor. Nas narrativas dos Evangelhos, em Atos e nas Epístolas, falam desde o nascimento de Jesus, à paixão, e morte e seguem-se a sua ressurreição e ascenção, à glória eterna. A fé na ressurreição é bíblica. A fé na reencarnação não é bíblica, porque exclui a possibilidade da ressurreição, anula o sacrifício de Cristo e torna vaga e mensagem do Evangelho e da vida eterna. A morte abre caminho para a vida e para a glória. Só é possível haver ressurreição e a vida eterna, havendo a morte. A ressurreição de Cristo é um sinal, uma garantia, um protótipo da ressurreição vindoura de todos que morreram  na fé em Cristo e que lhe pertencem. Damos-lhe à glória pela nossa ressurreição.”…Cristo, as primícias; depois os que são de Cristo… (I Cor. 15:23). Rev. Mario Ramos