CRISTO É A NOSSA PÁSCOA!

Nº 47 – BOLETIM DOMINICAL- 27 DE MARÇO DE 2016

CRISTO É A NOSSA PÁSCOA! Lc. 24:1-12

Por que buscais entre os mortos ao que vive?” Cristo é a nossa Páscoa! O Cordeiro Pascal, no pensamento cristão, como tambem no judaísmo, a Páscoa, a Festa dos Pões Asmos e a Festa da Dedicação dos Pirmogênitos têm sido consideradas como memoriais  intimamente relacionalados, de acontecimentos interdependentes, nas narrativas do Êxodo. Assim é que a Páscoa significa, naturalmente, duas coisas: os acontecimentos históricos e a sua comemoração posterior. A Páscoa, cuja comemoração simboliza a morte e a ressurreição de Cristo. Ou seja, representa a libertação que vincula a libertação-redenção, do passado, presente e futuro, de seus eleitos,  até a Sua parousia (2ª Volta de Cristo ), culminando com a salvação escatológica. Portanto, a comemoração da Páscoa é aquela festa, que tem curso em toda a História da redenção até a consumação da todas as coisas. Páscoa é isto: redenção, exultação e glorificação dos eleitos de Deus em Cristo Jesus. Páscoa, em hebraico, “pesah”, vem de um verbo que significa “passar por cima”, “por sobre”, no sentido de “poupar” (Ex. 12:13-27). O anjo destruidor , literalmente, passou por sobre as casas protegidas pelo sangue do cordeiro, ao mesmo tempo em que feriu os egípcios. O termo Páscoa é usado tanto para o ritual, quanto para a vítima sacrificada. A identidade da vítima pascal, reverte-se de significado especial, pois o cordeiro pascal tipificava a Cristo – “o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. A festa pascal, compreendia uma excelente refeição, pois tinha a ver com um belo “churrasco”. Comia-se o cordeiro mal assado, os pões asmos, as ervas amargas e bebia-se um bom vinho durante a refeição pascal. E cada ingrediente desta refeição tinha um significado particular e especial. Foi durante uma refeição pascal, que Cristo instituiu a Santa Ceia, tomando o pão, fê-lo como símbolo do seu corpo; e o cálice, fê-lo sinal e símbolo do seu sangue. A Páscoa lembra a libertação do Egito – uma libertação política, social e espiritual. Hoje, Cristo nos liberta e regenera do pecado vil e restaura a vida moral, emocional e espirtual. Disse Jesus: “ dou-lhes vida e vida eterna”. Cristo é a nossa Páscoa!  Feliz Páscoa! Rev. Mario