CONHECER E SER CONHECIDO POR DEUS

BOLETIM DOMINICAL – 26 DE AGOSTO DE 2012

CONHECER E SER CONHECIDO POR DEUS –   (Sl. 139:1-24)

Este saltério que focaliza quatro tributos, entre outros, de Deus, explica de forma satisfatória e na exata proporção, a pessoa, natureza e obra de nosso Pai celestial: Seu conhecimento de todas as cousas (vv.1-6); Sua presença em toda a parte (vv.7-12); Seu poder exibido na formação do homem (vv.13-18) e Sua santidade que investiga o coração dos crentes (vv.19-24). O nosso Pai Eterno e benfazejo nos conhece por dentro e por fora, antes mesmo do nosso nascer e até os nossos dias estão todos escritos e determinados. “Senhor, tu me sondas e me conheces”. É desta forma que o Pai celestial se relaciona conosco. “Sondas e conheces”. Este termo é utilizado para descrever o exame minucioso que se faz em mineração ou garimpo. A sondagem acontece também no solo para se saber a natureza da estrutura que receberá aquele majestoso edifício. O Pai celestial, sonda a vida do crente com o propósito de construir sobre ele  algo maravilhoso e eterno. Viver a vida cristã com propósito no cumprimento da Missão e está preparado para a Mansão. Deus está presente! Deus sabe de tudo! Deus é poderoso! Deus é santo! Deus, em Seu Filho Jesus, nos deu a salvação e nos dotou de uma santa vocação. “Se com Ele sofremos também com Ele seremos glorificados”. Este é o fiel testemunho que dEle podemos prestar. “A querida irmã, A.C.P, nascida em 24/12, professora aposentada, porém, em atividade na rede Estadual de ensino, crente desde o seu nascimento, e que jamais se apartou do seu Senhor, sendo mãe de três filhos todos já casados e bem sucedidos, sempre revelou uma vida de muitas lutas mais também de vitórias. Nossa irmã foi surpreendida com o câncer no estágio/2 que já passara do útero. Sua fé jamais se abalou. Sua confiança em tempo algum alterou. Pelo contrário, se dizia estar pronta para cumprir o propósito de Deus em sua vida fosse temporal ou eternal. Ela entregou o seu corpo para ser surrado com duros procedimentos médicos: quimioterapia, radioterapia e bracterapia por quase dois meses. Passaram 20 dias de silêncio e expectativas dos tratamentos impostos e então, o exame decisivo. Nossa irmã que sempre manteve convicta da cura e dava testemunho antecipado desta certeza, revelava o quanto faz a diferença em conhecer e ser conhecido por um Deus onipotente, onisciente e onipresente. Confie e entregue! Deus te ama!            Rev. Mario Ramos