COMO DEVEMOS SER NA IGREJA?

Nº 69 – BOLETIM DOMINICAL- 04 DE SETEMBRO DE 2016

COMO DEVEMOS SER NA IGREJA? Mateus 20:26

A sua Igreja recebe e acolhe com muito carinho os Novos Membros à família da fé. Ficamos muito felizes por este acréscimo e companhia dos amados. Nos Céus há júbilo e festa! A sua igreja cresce por ser um Corpo Vivo. Como todo o corpo quer e precisa crescer de forma saudável, sólido e integral. Mas, a nossa responsabilidade tambem aumenta na mesma proporção com aqueles que chegam. Os que chegam por sua vez, têm um papel relevante com a famíla que abraça. Somos uma Igreja – o Corpo de Cristo. Vemos no texto acima um equívoco por parte dos discípulos em desejar um lugar de honra ao lado do Senhor Jesus na extensão de Seu Reino. Para tanto, Jesus fala de governadores e maiorais  das nações. A autoridade dos governadores é administrativa, personalista, de força, de dominação e sempre discricionário. Porém, entre vós não será assim, disse Jesus. Isto equivale dizer que na Igreja de Cristo a autoridade (poder) não tem qualquer conotação política, por cargo, por eleição, por ofício, ou administrativa, antes, é uma questão de diaconia. A autortidade é quem serve a Mesa, leva o conforto aos outros, traz da dispensa os bens necessários para o sustento dos carentes. A autoridade da Igreja nada tem a ver com aquele que exerce medidas, que faz cálculos e toma decisões. O poder na Igreja é vivido na reunião de oração, na visitação dos enfermos, no atendimento aos necessitados, na procura dos encarcerados, no testemunho do Evangelho aos perdidos, na pregação da Palavra, na Ministração dos Sacramentos e principalmente, no ministrar misericórdia para com os fracos. Vemos que no texto Jesus censura seus discípulos dizendo-lhes que não entenderam nada, da natureza e da dimensão do Reino – na Igreja. “Entre vós não será assim.”

Tal situação nos oferece um excelente espelho para julgarmos os nossos próprios padrões. A Igreja não é o Estado da República, nem uma Empresa, nem uma Instituição onde o oficial eleito é o dono. O Pastor, o Presbítero e o Diácono são agente servidores no estrito dever diaconal. De mais e melhor servir aos outros! Na Igreja mede-se a autoridade pelo serviço. Deus nos ajude a serví-Lo, na vida da Igreja. Rev. Mario Ramos