CAIU, CAIU A GRANDE BABILÔNIA E SEUS AMANTES!

Nº 215 –  BOLETIM DOMINICAL – 13 DE OUTUBRO DE 2019

CAIU, CAIU A GRANDE BABILÔNIA E SEUS AMANTES!” – Ap. 18:1-24

Babilônia: “Estou sentada como rainha. Viúva não sou. Pranto, nunca hei de ver!”  (18:7). Vivemos sob o impácto da globalização que abraçou o mundo. A tecnologia deu uma nova face a sociedade moderna e determinou a marcha do processo civilizatório. A globalização não é um fenômeno recente. Desde a formação dos impérios bíblicos na antiguidade e a formação dos impérios na modernidade, temos um processo em que o poder local representado pela tribo ou mais recentemente pelo Estado-nação. O petróleo, por sua vez, ou “betume em química”, mistura escura e viscosa, (Gn. 11:3) que por meio da OPEP, comanda e dita a ordem da economia mundial, produzindo riquezas e tambem misérias, conflitos e guerras.  A crise atual do petóleo é delicada e preocupante. A sociologia contemporânea tem a função de revelar como o desenvolvimento do capitalismo na sociedade implicou novas interpretações do fenômeno religioso. Uma das características do mundo moderno é o processo de “desencantamento” ou secularização.  É fácil perceber, com uma leitura rápida no Cap. 17, a Babilônia religiosa, envolvida em bruma de riqueza, junto ao rio Eufrates, famosa metrópole, seu poder, sua opulência, sua iniquidade e  sua sentança; e quanto, no Cap. 18, a Babilônia política-comercial, poderosa, inatingível e absoluta, “a si mesma se glorificou e viveu em luxúria” (18:7). Seus amantes são muitos; seu gozo é completo; orgulha-se de que não é viúva como a Igreja de Jesus Cristo, cuja esperança está na Volta do esposo. A Babilônia política/cocmercial, corporificada em Roma, será rediviva, sob o apanágio do Anti-Cristo, coligado por vários príncipes  assentados sob o “BETUME”, ou petróleo, portanto, será muito mais inflamável (Is. 13:19-22). Se a Babilônia Religiosa (17) – mística, símbolo de rebelião espiritual (confusão), contra Deus; a Babilônia política/comercial (18), é uma cidade reedificada para a capital política e Quartel General do Anti-Cristo. A sua  ruína vira num só dia. “Caiu, Caiu a grande Babilônia’ (18:2) é o anuncio do anjo com potente voz. Babilônia é morada e esconderijo de demônio e de feitiçarias (18:2). A Babilônia eclesiástica (Religiosa) será destruída pela Babilônia política (17:16), Deus os induzirá a operação do erro, para que o Anti-Cristo tenha o total domínio e receba toda adoração (2. Ts. 2:3,4; Ap. 13:15). O Todo-Poderoso, adverte: “”Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados” (18:4). A Ruína será completa (18:21-24), Será destruido este império satânico num só “DIA” do Senhor, pela mão de Deus, como foi Sodoma e Gomorra (Ap. 16:19-21). “Teus mercadores eram os grandes da terra” (18:23). Seus amantes serão destruídos (18:3). Comprar ou vender não tem pecado algum. A questão em tela é a ideologia satânica da convivência e naturalidade da corrupção e do pecado vil com o mundo babilônico. “As tuas feitiçarias” a Babilônia do Anti-Cristo é o centro de feitiçarias e enganos (Dn. 2:2). Aceite a Cristo!  Rev. Mario