BOTE FÉ, NO CORDEIRO PASCAL!

Nº 237 –  BOLETIM DOMINICAL – 12 DE ABRIL DE 2020

BOTE FÉ, NO CORDEIRO PASCAL! – ÊXODO 12:1-8,12-14

O mundo está de joelhos e mãos postas! É guerra sanitária! É juízo e salvação! É hora da verdade, do que se fala e se faz, Aletheia. É a Covid 19, sua reedição histórica de quarentenas bíblicas, em juízos locais e universais. É um aperitivo antes o apagar das luzes dando vez e voz ao apocalípse Caps. 6 -19. É o vírus da morte no céu dos ímpios e da impiedade, simbolizado, na Via crucis de Domingo de Ramos ao Domingo da Ressurreição. É o contrassenso da idolatria (Exod.12:12). Não é tempo de jejuar falso e sim, de confessar, arrepender-se e mudar! Quem poupa o lobo condena as ovelhas. Fiquem em casa! É hora de ouvir a Deus pelo clamor da ciência e da medicina. Se hoje Deus permite a cura por meio de insumos, aguá, sabão e álcool em gel, dias virão, velozmente, que NADA poderá deter a Soberana Vontade de Deus em Seu Juízo Final sobre a terra (Jer. 25:32-33; 7:33; 8: 2, 9; 16:4) O homem vai desejar a morte e ela fugirá dele (Apoc. 9:6).É tempo de olhar para o Gólgota, onde Jesus morreu por nós (Êxod. 12:13; Lc.23:33). É hora de buscar a protenção geométrica sobre as vossas cabeças, famílias e vizinhos, com a presença do sangue nas vergas e ombreiras nas portas (Êxod.12:3, 4,7). É a Páscoa do Senhor! Páscoa, em hebraico, “pesah”significa “passar por cima” (sobre) – poupar (Êxod. 12:13,27). A Pàscoa tem por base a exigência de Javé, quanto a malignidade do vil pecado – o “Virus-mãe” de todas as mortes (Rm. 5:12, 6:23). A Páscoa revela dois aspéctos da Soberania de Deus: 1- A Soberana Vontade de Deus sobre o Seu povo; 2- A Soberania Permissiva sobre os pagãos e ídolos. Para os Hebreus, salvação, libertação e liberdade. Para os egípicios e seus deuses-ídolos, destruição, angústia e morte. A morte, o eco ensurdecedor do juizo final e da condenção. Foi o não rotundo à religião pagã, aos falsos deuses e seus pastores feridos, a idiotização sócio-política-econômica no juízo no Egito. Foi a morte dos irredentos primogênitos daquela sociedade fétida, jactanciosa e autossuciente. Em lugar nenhum e em tempo algum o pecador, enxerga, e não percebe a soberania permissiva de Deus, com o Seu “anjo da morte”. Ele é sempre vítima de seus próprios pecados. Mas a soberana vontade de Deus, revelada no Cordeiro Pascal – Cristo, é-nos, oferecido, em amor leal e eterno, pois, o Cordeiro de Deus é que tira o pecado do mundo. A identidade da vítima Pascal, reveste-se de significado especial pois, o Cordeiro Pascal tipificava a Cristo. Determina-se, em Exod, 12:46 e Núm. 9:12, que nenhum osso da vítima pascal deveria ser quebrado. Esse pequeno detalhe aparece no (Sl. 34:20), e ecoa no Evangelho, em relação a Jesus Cristo (Jo.19:36). Foi durante uma refeição pascal, que Cristo instituiu a Santa Ceia, tomando o pão, fê-lo sinal e símbolo do Seu corpo; e tomando o cálice, fê-lo sinal e símbolo do seu sangue. É a bela recapitulação da História do juízo e salvação no Egito. (Êxod. 12:14). Só Cristo, o Ressurreto, faz de voce um poema de Deus! (Ef. 2:10). O povo saiu do Egito. Cristo ressuscitou! Ele nos dá vida. Bote fé! Feliz Pascoa!  Rev. Mario