ATRAÍDOS À CRUZ DE CRISTO

Nº 297 – BOLETIM DOMINICAL- 02 DE NOVEMBRO DE 2014

ATRAÍDOS À CRUZ DE CRISTO – João 12: 20-36

Alguns gregos estava em Jerusalém por ocasião da Páscoa. Houve um imenso interesse por conhecer a Jesus (vs 20 a 21). “Senhor, queremos ver a Jesus”. Viram a Jesus? Creram nEle? Qual foi o resultado? Ao certo não sabemos. O importante é que João focaliza a pessoa de Jesus. Estes gregos são símbolos de todos os gentios que viram a Cristo. Chegaram ao final do ministério público do Senhor; poucos ouviram de seus lábios; não presenciaram nenhum milagre. Mas, certamente, assistiram ao episódio da cruz. Chegaram no momento certo, porque é a cruz, exatamente, o ponto de convergência da história humana. É o megnete moral do mundo. Neste texto, vemos a doutrina da cruz através da parábola do grão de trigo que morrendo, produz abundante vida. Em seguida Jesus aplicou esta doutrina aos seus ouvintes.” Quem ama a sua vida, perdê-la-á; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo, preserva-la-á para a vida eterna” (v. 25). Se uma pessoa egoisticamente, se agarrar à sua vida natural, a qual é efêmera e perece e desprezar a vida espiritual, tal pessoa perde a sua vida. Por que? Porque a razão da vida material do homem é alcançar a vida eterna em Cristo. Jesus é a vida eterna. Quem não amar a Jesus mais do que aos seus bens materiais, inclusive a própria vida natural, está fazendo uma opção tremendamente enganosa. Opte por Cristo, e pela vida gerada na morte dEle na cruz. Jesus afirma que quando Ele fosse levantado, isto é, pregado na cruz, Ele consumaria a sua vitoria atraindo os homens a si. Os Judeus não entenderam e arrazoaram: “Nós temos ouvido da lei que o Cristo permanece para sempre; e como dizes tu ser necessário que o Filho do homem seja levantado? Quem é esse Filho do homem?” (v.34). Percebe-se que os Judeus, de acordo com as profecias, relacionavam o Filho do homem com um reino eterno, sem fim. Agora vem Jesus dizendo ser o Filho do homem, e proclama a sua morte antes do reino ter começado. Mas Jesus estava certo. Ele não seria vencido pela morte, ressuscitaria. Passaram todos os impérios deste mundo, construidos com a espada, mas o de Cristo, construido em amor, permanece eternamente. E nós aguardamos a volta do Rei dos reis; e Senhor dos senhores. À cruz, nos atrai à vida eterna. Rev, Mario Ramos