AS PROFECIAS MESSIÂNICAS ATÉ A CAIFÁS

Nº 129 –  PASTORAL – 10 DE DEZEMBRO DE  2017

AS PROFECIAS MESSIÂNICAS ATÉ A CAIFÁS – Isaías – 9:1-7

É natal! Cantai! Exultai! O Messias chegou! Dissiparam-se as trevas, a ourora raiou! O messianismo judaico é notório, a consciência da necessiade de um Messias e da realidade de uma era messiânica, são um fato: Uma era de paz, de justiça, de amor, de um bem-estar intenso para todos; a era do verdadeiro e eterno shalom. O Messias seria uma personalidade corporativa, que enfeixaria em si, todos os ideais da Monartquia Davídica, que é tida como a Era de Ouro da História do Estado de Israel. Daí, ser necessário que ele fosse da linhagem de Davi. (Is. 11:1-16; Rm. 1:3-4). Razão de ser do Proto Evangelho (Gn. 3:15), anuncia que da semente da mulher, nasceria um que esmagaria a cabeça da serpente. Tal profecia é recepcionada em (Gál. 4:4-5). Este Messias é o Grande Profeta descrito por Moisés em (Dt. 18:15-22). O Dr. e historiador Lucas registra este fato histórico e cosumado (At. 3:23; 4:12). Dentro da história em Israel, Deus levantou grandes profetas. O maior destes foi Elias, segundo diz Tiago o meio irmão de Jesus ( Tg. 5:17). Elias, o Profeta, foi um tipo que apontava para aquele Sumo Profeta, Jesus Cristo: “Profeta, Sacerdote e Rei, na plenitude desses ofícios. O nascimento Virginal, foi sentenciado em (Is.7:14). E cumpriu-se pleno e fatal em (Mat. 1: 18-25). Este profeta na atribuição de seu tríplice ofício, constituiu ao seu povo bênçãos sem medidas mediante os títulos de : “… Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz”. “ O governo das nações está sobre os seus ombros e Ele vai reger as nações com vara de ferro”. (Sl. 2). O local de seu nascimento conforme o profeta Miqueias (4:2-4), identifica-O como o Jesus Histórico de nossa fé. Sendo este o Senhor e Salvador preexistente como diz (Jo:1:1-3). Enquanto o João Batista, foi seu precursor, identificador e apresentador em Israel (Jo. 1:29-31). Este veio de encontro a cruz por amor a nós. Este sacrifício substituto, é a Graça Especial encarnada de Deus. Disse Caifás no Sinédrio, advertiu-os dizendo: “ Vós nada sabeis, nem considerais que vos convem que morra um só homem pelo povo, e que não venha a perecer toda a nação” (Jo. 11:48-53). Rev. Mario Ramos