APÓS A MORTE, O QUE ACONTECE?

Nº 52 – BOLETIM DOMINICAL- 01 DE MAIO DE 2016

APÓS A MORTE, O QUE ACONTECE?  Lucas 16:19-31

Onde voce passará a eternidade? Voce tem investido neste seu futuro, o porvir? Voce vive hoje, como se fosse convocado a eternidade amanhã? O estado intermediário é o lápso de tempo que existe entre a morte e a ressurreição. Como ficam as almas dos salvos? E a alma dos não salvos? Pois sabemos que “o pó volta ao pó, como era; e o espírito volta a Deus, que o deu”. (Ecl. 12:7). Talvez voce me diria, basta saber isto, já estou satisfeito! O que diz a nossa Confissão de Fé, sobre este tema? 1) Após a morte do corpo humano, o espírito subsiste, pois é imaterial, a alma é imortal, não suscetível a morte. Nesta situação separado do corpo, permanece até a volta do Senhor Jessus, quando os corpos dos mortos de todas as épocas, ressucitarão. Este lápso de tempo é reservado à glória e ao poder de Deus! Chamam-se a isto de “estado intermediário”. 2) No estado intermediário, os espíritos, isolados dos respectivos corpos, tornam imediatamente os sesus próprios destinos: a glória eterna para os salvos, e a condenação eterna para os perdidos (Lc.16:19-26; II Cor. 5:8; Fil. 1:21-23; At. 7:56-60); 3) Não há destino transitório para o destino dos mortos, “Limbo” no caso das crianças; “Purgatório” para os adultos, não existem, nem se acha na Bíblia a mínima alusão a tais lugares; Tambem, não há qualquer base bíblica para se falar em espírito desencarnado, à espera de um novo corpo, no caso um bebê, para a reencarnação e voltar ao mundo real. Isto é condenável na Bíblia. Mas sim, o ensino de que os espíritos das pessoas que morreram seguem imediatamente para os seus destinos definitivos, vindo após isto, o juízo final ( Heh. 19:27; II Pe. 2:4,5,9; Lc. 16:19-26); Desde os tempos antigos os teólogos ensinam que, entre a morte e a ressurreição, as almas dos salvos desfrutam do descanso; as almas dos perdidos sofrem aflições; enquanto aguardam a 2ª Volta de Cristo, trazendo a ressurreição dos mortos, a transformação dos vivos, o arrebatamento da Igreja, o Juízo Final e a criação de um novo Céu e de uma nova terra. Ninguém conhece precisamente a ordem dos acontecimentos das últimas coisa, é temerário e irresponsável ir além do que a Palavra de Deus diz. Rev. Mario Ramos