AÇÃO DE DEUS E REAÇÃO DO HOMEM

Nº 010 – BOLETIM DOMINICAL- 12 DE ABRIL DE 2015

AÇÃO DE DEUS E  REAÇÃO DO HOMEM – Ef. 4:1-32

Vamos refletir neste Domingo sobre a Soberania de Deus. Para nós cristãos e presbiterianos, o ponto de partida na compreensão e na aceitação das doutrinas bíblicas,  reside na Soberania de Deus. Deus é Soberano. Apenas e tão somente a Deus, cabe e fica bem este atributo. Ensinando sobre a soberania de Deus, o saudoso Rev. Mattias G. dos Santos, assim asseverava: “Enquanto o homem se agita, Deus o conduz!”. No texto encimo, o Apóstolo Paulo, fála-nos sobre a vocação dos crentes. O pragmatismo cristão está em evidência. A sua relação a outros crentes; sua relação a dons espirituais e sua relação a vida anterior. Na Sua soberania, Deus escreve a história, age no universo e sustenta toda a obra da criação. Assim Deus intervém na vida humana. Deus, sem qualquer elemento motivador em nós encontrado, age por iniciativa própria, exclusiva e unilateral, em nossa direção, a saber, mediante Seu Filho Jesus Cristo. Opera em nós com sua graça e nos vivica em Cristo Jesus, “estando nós mortos em nossos delitos e pecados” (Ef. 2:1). Desta forma, unicamente, o homem vivicado, reage na direção desta ação divina, e começa a se relacionar espiritualmente com o seu Senhor (Ef. 2:7-10). Diz Paulo que esta ação paternal de Deus (v.6), se dá em quatro relacionamentos: 1) de todos os homens, pelo fato de ser seu criador; 2) do Senhor Jesus Cristo (Mat. 3:17); 3) de Israel (Êxd.4:22) e 4) dos crentes em Jesus Cristo (Gal. 3:26). É desta forma que Deus opera, e o homem co-opera pela outorga dos dons espirituais do Espírito Santo, na pessoa do Cristo exaltado (v. 7). Paulo argumenta que esta ação de Deus no homem o torna capaz de amor,  obediência e serviço na dimenção do corpo de Cristo, Sua igreja (v.11). “Uns evangelistas, pregadores, pastores e mestres”. Daí, deriva-se numa certa lógica no aspecto moral como sendo uma exigência normal aos crentes. A expressão é “velho homem” e “novo homem” (vs 22-24). O velho homem é aquele antes de receber a Cristo; o novo homem, o salvo em Jesus Cristo. É a versão do homem salvo, limpo e de pé! (vs 25-32). Até a ira que não é pecaminosa, mas nem mesmo esta deve ser permanente entre os crentes, porque deteriora os relacionamentos. Sejamos movidos por amor!

 

Rev. Mario