A VITÓRIA DA FÉ

Nº 22 – BOLETIM DOMINICAL- 28 DE JUNHO DE 2015

A VITÓRIA DA FÉ – I João 5: 1-12

Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isso não vem de vós, é dom de Deus” (Ef. 2:8). Percebe-se: “NOSSA FÉ”; e não, a fé nossa! Costumo dizer que esta FÉ, é proporcional ao tanto que possuimos a Palavra de Deus.”A fé vem pela pregação, o ouvir a Palavra de Cristo” (Rm. 10:17) A “fé” que vence é dom de Deus, não é inata ao homem. A fé salvadora é de diferentes graus; é pequena ou grande, é fraca ou forte. Pode ser e muitas vezes é, de vários modos assaltada e enfraquecida, mas sempre alcança a vitória, atigindo em muitos a uma perfeita segurança em Cristo, “que é o autor e consumador da fé” (Hb. 12:2). A vitória que vence o mundo é a nossa fé, diz João, enfaticamente. “Vencer o mundo, não se refere a humanidade, nem ao kósmos – ao mundo físico, particulamente; mas, sim, ao sistema como um  todo organizado à parte de Deus. O “mundo” é tudo aquilo que se opõe a Deus. Esta fé nos garante a vitória sobre as coisas do mundo, que jazem no malígno. Jesus Cristo é  Deus vindo na carne para derrotar o malígno no seu campo de combate: esta é a fé que vence o mundo. “Nada tem a ver com a fé em São João”. A fé é em Cristo! A fé em Cristo afasta toda e qualquer possibilidade de derrota. Basta dizer: “Se Deus é por nós, quem será contra nós” Esta e a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Cada pessoa contribui diretamente para o fortalecimento ou para o enfraquecimento da sua própria fé. O uso diligente dos meios de graça fortalecem a fé: a leitura da Bíblia, a oração e a comunhão com os crentes – com o corpo de Cristo, com a igreja. Lembre-se: nos últimos dias haverá a APOSTASIA. E ela começa com o afastamento da igreja; depois afastamento da comunhão; depois da oração; depois de Deus e aí…será tarde demais. A fé nos dá vitória. Da intensidade da fé dependerá a grandeza da vitória. Uma fé firme, robusta e inabalável, firmada na Palavra de Deus, levar-nos-á a sentir segurança e paz, mesmo na tempetade. A Vitória da fé não significva que o cristão viva uma vida livre de sobressaltos, de lutas, de problemas; mas, que, apesar deles, a vitória pertence ao que crê. Lutemos por esta “fé que uma vez foi entregue aos santos” (Jd. 3)   Rev. Mario