A VERDADEIRA INDEPENDÊNCIA: O SER LIVRE

BOLETIM DOMINICAL – 09 DE SETEMBRO 2012

A VERDADEIRA INDEPENDÊNCIA: O SER LIVRE (Jo. 8:31-36)

A Bíblia ensina que o fim supremo e principal do homem é glorificar a Deus e gozá-Lo para sempre. É essa verdade, a Palavra, que liberta! É essa verdade que quebra cadeias, prisões e maldições! É essa verdade que muda padrões de comportamento! Muitas pessoas acham que a verdade de Deus diz respeito apenas ao aspecto da salvação. A verdade de Deus é absoluta e plena, e atinge corpo, alma e espírito. Para vivermos à bênção na sua plenitude, o Senhor Jesus apresenta três pilares os quais devemos ser edificados e edificar o nosso próximo: 1 – Permanecer Na Palavra (v. 31). Muitos têm crido no Senhor nesses últimos dias, mas o segredo não está em ser ganho, e sim em ser consolidado: “Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, Eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo conceda” (Jo. 15.16). Para ser liberto pela verdade é preciso permanecer na Palavra de Deus. Ela faz a diferença naquilo que confessamos que corresponde aquilo que somos e vivemos; 2- Assumir a Condição de Discípulo (v. 31). O discípulo não faz aquilo que quer; o discípulo é tratável, é flexível; é disciplinável, é obediente e submisso. Não que ele não tenha vontades próprias, mas está disposto a submeter as suas vontades à vontade do Pai. Para ser liberto pela verdade é preciso ter disposição para assumir a condição de discípulo. Ser discípulo é ser um legítimo membro de igreja; mas nem sempre o membro de igreja é um discípulo; e 3- Todos Nós Precisamos de Libertação (v. 32). O Senhor Jesus, enfatiza que todos nós precisamos de libertação. Os religiosos da época não compreenderam a afirmação do Senhor. E talvez, você e eu também nos sintamos desconfortáveis com tal afirmação. Porém, a verdade é que precisamos de libertação. A raiz da palavra “verdade” e “libertação” são as mesmas, e o tempo verbal do versículo é no futuro. Isso é suficiente para nos convencer de que só poderá existir verdadeira libertação quando houver, antes de mais nada, o conhecimento da verdade. “Conheçamos e prossigamos a conhecer o Senhor”. Enquanto não deixarmos que Deus liberte e trate com o nosso caráter, a libertação não ocorrerá por completo. O problema maior, não é o Diabo ou os demônios, é o nosso caráter que  precisa ser tratado pela Palavra. Mas se o caráter já diluído em “pornéia” ou “moicheia” não se dá mais com a Palavra, é preciso exorcizá-lo, nos termos da punição prescrita por Paulo em (I Co. 5:5), da comunhão da igreja para o mundo, que é o campo de ação de Satanás. “Se sois filhos de Abraão”, vivei a Palavra e sereis livres!   Rev. Mario