A SÉTIMA TROMBETA TOCA: O REINO É DE CRISTO

BOLETIM DOMINICAL – 17 DE JULHO DE 2011

A SÉTIMA TROMBETA TOCA: O REINO É DE CRISTO – Ap. 11:15-19

Com o soar da setima trombeta, vozes no céu dizem: “O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos.”(v.15b; 19:16). Vimos no Cap. 11:1-6, na ordem para medir o santuário de Deus – que a economia do reino de Deus preserva aquilo que é eterno na economia de Israel. E o fato das duas testemunhas profetizando na Grande Tribulação, confirma a doutrina de que o Evangelho preserva a Lei e os Profetas, embora isso não fosse popular entre os heréticos Judeus, nem entre os cristãos com preconceito antijudaico. Ao tocar a sétima trombeta, fica evidente, que a economia judaica se findara, com o fim da Jerusalém terrestre, queira os Judeus ou não; mas que no Evangelho, a economia do reino do Messias, o Cristo, é preservada o que é eterno, a possessão de Israel, feita sob juramento, a Abraão, a Isac e a Jacó (Ap. 10:5-7). O sétimo anjo, impedido por tanto tempo, de introduzir as cenas do grande conflito, que resultarão no fracasso completo de Satanás e seus exércitos, por fim, faz soar a sua trombeta. Ao soar a sétima trombeta, os reinos do mundo passam a ser do Senhor. Este anúncio foi antecipado pelo anfo forte na Cap. 10:5-7. Mas isso acontecerá em realidade somente depois que os sete anjos derramar as sete taças da ira de Deus no Cap. 16. ”E ele reinará pelos séculos dos séculos”. Por se tratar aqui de uma antevisão do fim, e não do fim em si, a este oásis de paz, de graça e de bênçãos, segue-se – conforme narrativa apocalíptica, o ataque final de todas as forças hostis a Deus. Esses poderes aparecem personificados ou tipificados no dragão, na besta, no anticristo e do falso profeta (Ap.16:12-16). A vitória final de Cristo na sua morte vicária, ressurreição em poder e ascensão em glória há de ser para sempre implantada, estabelencendo-se então definitivamente o Reino de Deus e do seu Cristo. Ao vir o Rei em pessoa, dos céus, à frente dos seus exércitos, para lançar vivos o dragão, a besta e o falso profeta no ardente lago de fogo e enxofre, e destruir seus exércitos (Ap. 19:11-21). Quanto a visão do Santuário de Deus que se acha no céu (v.19). Veja que o Templo aparece aberto e é vista a Arca da Aliança. A) O Templo no céu é aberto. A Arca da Aliança, que ficava no Santo dos Santos, não podia ser vista, a não ser uma vez por ano pelo Sumo Sacerdote, no dia da expiação. Agora, todos podem ver o lugar onde a glória do Senhor assiste: o véu do Santíssimo rasgou-se na terra e abriu-se no céu; b) Ver a Arca da Aliança era um pacto entre Deus e o seu povo, Israel. Agora, lá no Novo Testamento, ou na nova aliança, é para todos que confessem a Jesus como Senhor e Salvador. Prepare-se para este dia glorioso!!! Rev.Mario Ramos