A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO

Nº 294 – BOLETIM DOMINICAL- 12 DE OUTUBRO DE 2014

A RESSURREIÇÃO DE LÁZARO – João 11: 20-46

Nosso Calendário Pátrio, dia 02 de Novembro é Dia dos mortos. Porém, no calendário cristão, comemora-se o Dia da Esperança – da ressurreição! A nossa confissão é a da Vida em Jesus Cristo! Nós celebramos a vida e não a morte. A morte de Lázaro trouxe a dor e à lágrima àquela família de Betânia. A presença de Jesus traz consolo, esperança e vida. Marta trazia no coração o peso da morte: “Senhor, se estiveras aqui não teria morrido meu irmão” (v. 21). Marta, entretanto, sabia que podia confiar em Jesus em qualquer situação, mesmo diante da realidade da morte: “Mas também sei que, mesmo agora, tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá”. (v. 22). Perbece-se que assim como nós, Marta acreditava na ressurreição. Todos os mortos hão de ressuscitar um dia. Cada um receberá um corpo espiritual. Marta cria nisto! A declaração do Senhor Jesus foi esta: “teu irmão há de ressuscitar” (v. 23). Marta revela firmeza da promessa de Jesus e diz: “ “Eu sei..que ele  há de ressuscitar”. Marta acreditava também no poder ilimitado de Jesus até mesmo sobre a morte. Por isso, Jesus lhe afirmou: “ Eu sou a ressurreição e a vida” (v. 25). Jesus ainda nos garante: “Quem crer em mim, ainda que morra, tornará a viver” (v. 26). Percebe-se, que o texto reserva dois fatos que mostram mais força do que todos os poderes humanos juntos: 1- “Jesus chorou” (v.25) e 2 – “Lázaro, vem para fora!” (v.43). Jesus é alguém que chora conosco. Ele nos ama. Ele é solidário. Jesus chorou porque amava ao seu amigo. O amor de Jesus por nós produz algum tipo de ação salvadora em nosso favor: “ Lázaro, vem para fora!” Jesus vendo a humanidade morta espiritualmente, por causa do pecado, Jesus foi até à cruz, onde por amor, morreu em nosso lugar, “para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (Jo. 3:16). Percebe-se que a morte de Lázaro nos faz confiantes ante a ressurreição e a vida eterna. Disse Jesus a Marta: “ Se creres verás a glória de Deus” (v.40). Há coisas que só Jesus pode fazer: mandar Lázaro sair do túmulo. Há outras coisas que o Senhor não faz. É tarefa nossa como seus discípulos. Tirar a pedra da entrada da sepultura era algo que os homens podiam e sabiam fazer. Tanto aquilo que só Jesus faz, como o que nós fazemos deve promover sempre a glória de Deus. Deus opera; o homem coopera! Lembre-se nós somos filhos da ressurreição e da vida eterna!    Rev. Mario Ramos